Cidades

10 de janeiro de 2019 18:55

Aos 29 anos, jovem mãe depende de transplante para sobreviver

Nas últimas duas semanas, 4 corações compatíveis surgiram, mas não famílias não autorizaram doação

↑ Ana Karolina, está na fila de transplantes à espera de um coração (Foto: Arquivo pessoal)

Ana Karolina Gama de Moraes é de Maceió e tem 29 anos. Em outubro de 2017, logo após o parto de sua filha, ela foi hospitalizada com um quadro grave de insuficiência cardíaca. Aquele foi o início de uma longa batalha, que hoje chegou a um ponto bastante crítico. Ela sofre de miocardiopatia periparto, uma doença idiopática, de ocorrência relativamente rara e associada com disfunção cardíaca grave, ocorrendo no final da gestação com mortalidade materna de alto índice em nosso país.

Nas últimas semanas seu quadro piorou muito, fazendo com que ela ocupe uma das primeiras posições na fila de transplante (o que ocorre quando o risco de morte se torna iminente). O que poderia parecer mais improvável aconteceu, surgiram nas ultimas semanas 4 corações compatíveis em condições de salvar a vida dela, mas os portadores não haviam se declarado doadores em vida, e as famílias não autorizaram a doação.

A doação de órgãos é uma forma de salvar muitas vidas. Campanhas sobre o assunto são frequentes no mundo inteiro, e com informação muita gente passou a se declarar doador. Em 2017, o Brasil chegou a um número recorde de vidas salvas pelo transplante: 27 mil. Mesmo assim, ainda há dificuldade para muita gente de lidar com o assunto, e por isso pessoas como Ana Karolina vêem suas chances se reduzirem.

A família da jovem decidiu fazer uma campanha de conscientização com a população alagoana, para que não só ela como muitas outras vidas possam ser salvas pelo transplante. “entendemos a esperança dos familiares daquele ente que já teve a morte cerebral declarada (que ocorre quando o cérebro deixa de funcionar completamente, e por isto, a pessoa nunca irá se recuperar), mas acreditam que milagrosamente ele irá voltar à vida. Entendam: o milagre da vida é justamente seu ente continuar vivo em outro. POR ISSO, DOE”, disse Alyne Gama em uma mensagem.

Fonte: Tribuna Hoje / Emanuelle Vanderlei

Comentários

MAIS NO TH