Cidades

14 de dezembro de 2018 10:02

Placa do Mercosul só deve ser emitida a partir de janeiro

Presidente do Detran afirma que sistema para receber modelo está pronto, mas Estado vai esperar posição do Denatran no novo governo

↑ Foto: Ministério das Cidades

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) anunciou no dia 30 de novembro, que as placas padrão Mercosul para veículos começariam a valer agora em dezembro, mas não a partir do dia 1º, como dizia o prazo anterior. Agora, cada estado terá um prazo específico. Em Alagoas, o prazo determinado pela instituição seria 24 de dezembro, mas o diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran-AL), Antônio Carlos Gouveia, disse que, por cautela, no estado só deverá começar a ser implantada em janeiro, e sem data definida.

“Até o momento só o estado do Rio de Janeiro começou a implantar o novo modelo. Por lá, mais de 100 mil condutores colocaram a placa e depois de estarem implantadas o Denatran [Departamento Nacional de Trânsito] mandou mudar – tirar o brasão do município alterando a formatação da placa. Faltam 15 dias para o governo atual acabar, e implantar um modelo novo de placa sem ouvir a opinião do próximo governo é um absurdo, no sentido de que a gente tem que ter prudência e cautela na implantação de um sistema que necessariamente reflete no condutor do veículo. Então, por causa de 15 dias o risco é muito grande a gente implantar e sair em Alagoas como está no Rio de Janeiro um par de placas por 300 reais. Aqui não dá, não se pode deixar passar de R$ 120”, explica Gouveia.

O diretor-presidente do Detran/AL ressalta que a decisão de esperar para janeiro foi pensando em outras decisões que podem ser tomadas pelo próximo governo.

“Ele assumindo pode questionar e querer mudar. A gente não pode fazer o condutor de ‘besta’. No Rio de Janeiro, único estado que começou a implantar, os 100 mil condutores terão que mudar novamente por causa da nova resolução. Então é melhor esperar uma definição do Denatran”, comenta.

Gouveia afirma que se fosse para implantar de imediato, o sistema no estado está pronto. “Se fosse para implantar hoje, amanhã já estaria tudo funcionando. Repito, vamos esperar por cautela. Não podemos brincar com coisa seria”, conclui.

Carlos Gouveia lembra ainda que não adiantaria implantar nesse momento porque nenhum outro estado do Nordeste iniciou o processo. “Por exemplo, se colocarmos aqui e o carro for vendido para Sergipe ou Pernambuco, vai tirar do modelo Mercosul para o cinza. Ou seja, o condutor iria levar ‘canudo’, e não pode. A gente tem que ter responsabilidade e ter no interesse público uma implantação de uma política dessa a certeza que vai dá certo. Vou ouvir o próximo governo para entender se esse formato vai ser alterado de novo ou não para não fazer o alagoano de ‘idiota’, para não colocar a placa e ter que mudar. O alagoano ele faz conta de um real, dois e não podemos gastar assim”, ressalta.

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH