Cidades

11 de dezembro de 2018 09:28

Quase seis mil cartinhas a Papai Noel são adotadas em Alagoas

Mais de 9 mil cartas foram cadastradas na campanha dos Correios este ano; prazo para adoção vai até o dia 18

↑ Movimento no escritório do Papai Noel é intenso; adoções devem superar 2017 (Foto: Edilson Omena)

O prazo para adotar cartinhas da campanha Papai Noel dos Correios termina no dia 18 de dezembro. A procura para adoção segue intensa no estande do escritório montado no Maceió Shopping. Segundo coordenadores da campanha em Alagoas, o número de cartas cadastradas já superou o de 2017 que foram 6.841. Este ano foram cadastradas 9.055 e destas 5.832 já foram adotadas.

“A tendência é que até o término da campanha, no dia 21, as adoções também superem as do ano passado, quando se registrou 6.062 cartinhas adotadas. A procura está grande. O movimento no estande é bastante intenso, principalmente nos finais de semana”, avalia a assessoria local dos Correios.

De acordo com a coordenação da campanha, as cartinhas podem ser adotadas até o dia 18 e os presentes devem ser entregues até o dia 21 deste mês. “Maioria das cartas são de crianças do interior. Nesse momento da campanha, não estamos recebendo novas cartinhas. Recebemos até o dia 30 de novembro e agora estamos trabalhando na adoção e recebimento dos presentes.’’

A professora Erilene Oliveira, está participando da campanha pela primeira vez. Ela e a pequena Indira Sophya escolheram oito cartinhas para adotar. “Essa é a primeira vez que participo da campanha, mas só hoje [segunda-feira, 10] viemos aqui três vezes. Escolhemos oito cartinhas. A iniciativa é muito boa. Não custa nada ajudar a quem precisa, ainda mais quando se trata de crianças. O Natal  sempre mexe com a solidariedade, com os sonhos”, comenta a professora.

O professor Bruno Leandro também compartilha do mesmo pensamento. “É um momento de solidariedade! É muito importante essas iniciativas. Trazer alegria para as crianças que necessitam. Tem muitos pedidos inusitados. Mas tem pedidos que a gente chega até ficar emocionados”, conta.

Tanto Bruno quanto Erilene confessam que os pedidos que chamam a atenção são de crianças que pedem tablet, celular. “Muitas cartinhas mesmo. Mas infelizmente nem muitas dessas podem ser atendidas. Engraçado é que algumas solicitam até o modelo, marca”, comentam.

Quem também está participando da campanha pela primeira vez é o bancário Antônio Correia que veio do Rio de Janeiro passar uma pequena temporada em Alagoas. Para ele, existe uma dificuldade em adotar cartinhas porque faltam algumas informações. “Em algumas cartinhas faltam dados. Tem criança que coloca no pedido uma calça, sapato, mas esquecem de colocar o tamanho. Outras pedem um kit de material escolar, mas não citam o que dever conter o kit – é muito complexo. Posso colocar no kit o que acho interessante para mim, mas pode não ser para quem vai receber o presente. Aí a gente acaba tendo que escolher uma outra cartinha”, ressalta.

PEDIDOS INUSITADOS

A campanha já está no seu 29º ano e sempre tem pedidos inusitados. Uma das coordenadoras locais, Camila Gusmão disse que existem alguns pedidos inusitados como: uma festa de aniversário, um abraço do Papai Noel, a reconciliação dos pais, kit específico para cabelo. ‘’No histórico da campanha tinha cartinha que o pedido era um lápis, uma caixa de bombom, um panetone que viu na tv e queria saber o sabor”, lembrou.

E este ano, os pedidos inusitados continuam. Tem muita criança pedindo kit escolar, brinquedos. Mas tem pedidos “diferentes”, como uma criança de Marechal Deodoro que pediu para conhecer um cinema. Tem outro pedido que a criança deseja felicidade para todos.

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH