Cidades

29 de novembro de 2018 16:33

Diferença de expectativa de vida entre homens e mulheres em Alagoas é a maior do país

Alagoanos ficam a frente apenas de Maranhão, Piauí, Rondônia e Roraima

↑ Expectativa de vida ao nascer no Brasil e nos estados (Imagem: IBGE / Divulgação)

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta quinta-feira (29) pesquisa sobre as taxas de mortalidade no país que apontam vários aspectos da expectativa de vida, as informações foram coletadas durante o ano de 2017. Entre os dados, o que mais se destaca quanto a Alagoas é que a diferença da esperança de vida ao nascer entre homens e mulheres é a maior do país, com uma diferença de 9,6 anos, acima da média nacional que é 7,1 anos.

O instituto aponta que os maiores diferenciais de mortalidade por sexo refletem os altos níveis de mortalidade de jovens e adultos jovens por causas violentas, que incidem diretamente nas magnitudes das esperanças de vida ao nascer da população masculina.

Quando a parte analisada é a esperança de vida ao nascer dos homens o estado de Alagoas tem a terceira pior expectativa com 67,2 anos, muito próximo de Maranhão e Piauí, que empatam com 67,1 anos. Para o sexo masculino, o estado com melhores números é Santa Catarina com 76,1 anos. Logo atrás estão São Paulo (75,3), Distrito Federal (74,7), Espírito Santo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul com 74,6.

As mulheres alagoanas possuem expectativa bem acima da masculina, mas ainda assim a sétima pior do país. A delas chega a 76,8 anos, maior apenas que Roraima (74,6), Maranhão (74,8), Rondônia (75,1), Piauí (75,5), Amazonas (75,8) e Pará (76,5). Para o sexo feminino, Santa Catarina novamente domina com a mais alta expectativa, 82,7. Espírito Santo (82,5), Distrito Federal e Rio Grande do Sul, ambos com 81,3, seguem logo atrás.

Analisando as informações totais, Alagoas tem a quinta pior expectativa de vida entre os estados brasileiros, com apenas 72 anos, atrás somente de Maranhão (70,9), Piauí (71,2), Rondônia (71,5) e Roraima (71,8). Na outra ponta da tabela estão Santa Catarina com expectativa de vida de 79,4 anos, Espírito Santo (78,5), Distrito Federal  e São Paulo (78,4) e Rio Grande do Sul (78). A média nacional fica em 76 anos.

Considerando os extremos dos valores das expectativas entre homens e mulheres, uma recém-nascida no Estado de Santa Catarina esperaria viver em média 15,6 anos a mais que recém-nascido do sexo masculino no Piauí. Estes fatos mostram que a mortalidade é muito diferencial entre os sexos e também ao nível regional.

Expectativas acima dos 60 anos

O IBGE considerou duas idades diferentes para calcular a expectativa de vida acima dos 60 anos. Considerado os 60 anos, em Alagoas, a população teria expectativa de mais 20,6 anos de vida, com os homens ficando com média de 18,6 e as mulheres com 22,4. Considerando os 65 anos, o habitante alagoano teria mais 17,2 anos; os homens, 15,4, e as mulheres, 18,7. A projeção do instituto mostra então que o tempo médio que irá viver um indivíduo ao completar 65 anos em Alagoas é 82,2 de forma geral, 80,4 se for homem e 83,7 se for mulher.

Fonte: Tribuna Hoje / Texto: Bruno Martins com IBGE

Comentários

MAIS NO TH