Cidades

20 de outubro de 2018 12:25

Biota registra 1.022 encalhes de tartaruga em Alagoas este ano

Dados são de maio a setembro; do total, apenas 20 foram encontradas com vida e duas reintroduzidas na natureza

↑ Já foram registrados encalhes de quatro tipos de espécies de tartaruga marinha: a tartaruga-verde, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-oliva e tartaruga-de-pente (Foto: Instituto Biota)

Mais uma tartaruga marinha foi encontrada morta na sexta-feira (19), na Praia de Cruz das Almas, em Maceió. O animal foi encontrado por uma equipe do Instituto Biota de Conservação que fazia ronda diária, após a baixa da maré. Segundo o Instituto, de maio a setembro deste ano já foram registrados 1.022 encalhes de tartarugas no litoral alagoano de Maragogi a Feliz Deserto.

Ainda segundo dados do Biota, das 1.022 encalhadas, apenas 20 foram vivas, destas  duas já foram reintroduzidas em seu habitat.

“O número pode ser ainda maior, uma vez que até abril não havia monitoramento mais preciso. Estes Dados são dados desde o início do monitoramento diário pelo Instituto Biota, que está sendo possível em razão deste condicionante de licenciamento ambiental, e que encerrará em dezembro”, explica  Luciana Salgueiro – coordenadora jurídica-administrativa do Biota.

Em matéria publicada na Tribuna Independente no dia 23 de agosto deste ano, a coordenadora de pesquisa do Biota, Waltyane Bonfim, disse que o quantitativo de tartarugas do último trimestre já era maior do que todo o número de registros do ano passado, em que foram registradas 342 encalhes de tartarugas.  Segundo ela, se compararmos apenas o trimestre, no mesmo período do ano passado foram 45 animais.

Bonfim também esclareceu na época que até abril, os registros eram feitos sob demanda da população e por meio de monitoramento de praia três vezes na semana, só no trecho entre Riacho Doce e Carro Quebrado. “Apenas a partir de maio, por meio de uma condicionante ambiental do Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis] iniciamos um monitoramento de praia diário em quase todo o litoral, desde Feliz Deserto até Maragogi. Com esse monitoramento, temos condições bem melhores de ter um panorama maior e mais real do que está acontecendo com esses animais ao longo do nosso litoral”, explica.

Em relação à tartaruga encontrada ontem, o Biota informou que o animal era jovem e pertencia à espécie verde, porém a causa da morte só será divulgada após o exame de necropsia.

Em Alagoas, segundo o Instituto, já foram registrados encalhes de quatro tipo de espécies de tartaruga marinha: a tartaruga-verde, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-oliva e tartaruga-de-pente.

Fonte: Lucas França / Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH