Cidades

19 de setembro de 2018 09:15

Custo social de acidentes ultrapassa R$ 1 mi em Alagoas

Em Maceió, este ano já aconteceram 1.211 ocorrências de trânsito, 62% do total registrado no ano passado

↑ De janeiro a agosto deste ano a SMTT registrou 1.211 acidentes de trânsito na capital (Foto: Sandro Lima / Arquivo)

Um estudo divulgado este mês pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES) órgão da Escola Nacional de Seguros, aponta que o custo social de acidentes de trânsito ultrapassa R$ 1 milhão em Alagoas. Em todo o país esse custo chega a R$ 60 milhões.

Os dados chamam atenção para uma conduta mais responsável no trânsito. É o que afirma a diretora de educação de trânsito da Superintendência Municipal de Trânsito (SMTT) de Maceió, Juliana Normande.

De janeiro a agosto deste ano a SMTT registrou 1.211 acidentes de trânsito na capital. O número representa 62% dos acidentes contabilizados pela pasta em todo o ano passado, um total de 1.933 nas vias de Maceió.

Na capital, Semana Nacional de Trânsito orienta e conscientiza população sobre cuidados e responsabilidade para um trânsito mais seguro

Para Juliana Normande é preciso uma mudança de comportamento. “A única forma que a gente tem de reduzir o índice de acidentes de trânsito é através de uma mudança de comportamento. Tem que haver uma mudança de comportamento, por isso ‘nós somos o trânsito’. Quando eu resolver que ao sair de casa vou andar no limite certo da via, não vou atender celular, nem teclar, nem olhar enquanto estiver dirigindo. Não vou cruzar o semáforo no amarelo, vou colocar o pisca alerta para a direita e esquerda ao fazer conversão. Ou seja, essas coisas que a gente aprende quando vai tirar a carteira, essas coisas que fazem parte do CTB. Se a gente começar a fazer isso, vai diminuir drasticamente o número de acidentes de trânsito. Nós temos que fazer essa mudança, depende da nossa mudança de comportamento”, salienta.

Semana Nacional de Trânsito reforça alerta para cuidados e responsabilidades na via

Desde ontem (18) até a próxima terça-feira (25), órgãos de trânsito de todo o país se dedicam à Semana Nacional de Trânsito, que visa orientar e conscientizar a população sobre os cuidados e responsabilidades para um trânsito mais seguro. O tema deste ano é a participação no trânsito com a hashtag “Nós somos o trânsito”.

A diretora de educação da SMTT explica que há uma preocupação constante em torno dos índices de acidentes.

“A Campanha ocorre entre os dias 18 e 25 de setembro para lembrar sempre à população que é nesta faixa etária que ocorre o maior número de acidentes com morte, é a faixa onde mais morre no trânsito. É o início da idade produtiva e onde mais ocorrem acidentes”, ressalta.

Durante os dias da campanha serão realizadas ações educativas em vários segmentos da sociedade. Entre as atividades, palestras, ações em vias públicas, escolas além do Dia Mundial Sem Carro, no próximo sábado (22).

“Este dia será comemorado com a realização do Projeto Escolinha Bike, no Parque Shopping Maceió, em Cruz das Almas, a partir das 14h. A atividade contemplará as crianças, ensinando-as a pedalar com segurança”, informou a SMTT.

Normande acrescenta que as atividades de ontem mantiveram o foco na ação e motoristas profissionais, que segundo ela, são protagonistas na mudança de comportamento no trânsito.

“Começamos hoje [ontem] com motoristas profissionais, os de ônibus e os de táxis. Fizemos duas ações paralelas, uma blitz com taxista para lembrá-los que precisam ser exemplos, por serem profissionais, por estarem o dia inteiro no trânsito. Eles são os verdadeiros educadores do trânsito. E lembrar também que eles precisam orientar seus passageiros. Quanto aos transportes coletivos nós estávamos abordando tanto o condutor quanto os passageiros. Porque esse condutor ele tem que saber que precisa dar exemplo, ter cuidado com o ciclista com o motociclista, com os outros condutores e os passageiros.  E trabalhamos de forma lúdica com os passageiros, porque eles precisam aprender as condutas corretas dentro do ônibus e na hora do embarque e desembarque. Enfim, a ação foi voltada à atuação profissional”.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH