Cidades

15 de agosto de 2018 15:56

Correios e federações firmam acordo e não haverá greve pela 1ª vez em mais de 20 anos

Assinatura do acordo coletivo ocorrerá na próxima semana, em Brasília

↑ Assembleia da categoria em Alagoas na noite de terça-feira (14) (Foto: Assessoria / Sintect-AL)

Os 36 sindicatos e as duas federações que representam a categoria dos empregados dos Correios aprovaram a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para o Acordo Coletivo 2018/2019, nas assembleias realizadas ontem e hoje (14 e 15). A assinatura ocorrerá na próxima semana, em Brasília. Esta é a primeira vez, em mais de duas décadas, que os Correios e as representações sindicais chegam a um consenso sem a realização de greve.

A proposta aprovada garante a manutenção do ACT 2017/2018, ressalvados apenas os termos da decisão do TST sobre o plano de saúde, com reposição salarial pela inflação do período, medida pelo INPC, aplicada ao salário e aos benefícios. Com o aceite da proposta, os benefícios e vantagens previstos no acordo já serão aplicados a partir da folha de pagamento de agosto.

Nesta quarta-feira (15), os Correios funcionam normalmente, com a prestação de todos os serviços, inclusive o de encomendas, que é concorrencial. Em todo o país, os clientes podem contar com o portfólio de produtos e serviços disponibilizados na rede de atendimento e com a capacidade de entrega em todo o território nacional oferecida somente pelos Correios.

Categoria em Alagoas aprova proposta do TST, mas mantém estado de greve

Reunidos em assembleia, na noite de terça-feira (14), os trabalhadores dos Correios em Alagoas aprovaram a proposta do TST mantendo todas as cláusulas do atual acordo coletivo de trabalho mais a reposição da inflação do período estimada em 3,68% sobre remuneração salarial e benefícios.

Os trabalhadores aprovaram também Moção de Repúdio ao presidente da ECT, Carlos Fortner e ao vice-presidente de Gestão de Pessoas, Heli Siqueira, pela postura durante negociações salariais.

Na assembleia também foi aprovado que a Fentect ingresse imediatamente com um Procedimento de Mediação Pré-Processual referente à abusividade no custeio do plano de saúde, além da permanência de pai e mãe na assistência médica. Com isso, o Estado de Greve está mantido para que a categoria permaneça de prontidão para reivindicar uma negociação sobre o custeio pago à Postal Saúde e contra o sucateamento e privatização dos Correios.

Fonte: Tribuna Hoje com Assessorias Correios e Sintect-AL

Comentários

MAIS NO TH