Cidades

5 de junho de 2018 08:49

Servidores não avançam por reajuste em Maceió

Sindicato informa que o prefeito Rui Palmeira não está disposto a negociar

↑ Sidney Lopes, presidente do Sindspref, afirmou em entrevista que lamenta forma como a prefeitura de Maceió trata os servidores públicos. (Foto: Arthur Melo)

O TH Entrevista, veiculado no portal Tribuna Hoje, desta semana, recebe o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Maceió (Sindspref), Sidney Lopes. A categoria está a ponto de declarar greve geral no município de Maceió. Ele falou sobre o assunto e disse que os salários dos funcionários públicos estão defasados desde 2015.

“Estamos pedindo a reposição salarial dos últimos três anos [2015,2016 e 2017] que dá 15.41%. A gente vem sofrendo uma baixa no nosso plano de cargo e carreira na tabela. Desde janeiro que enviamos um ofício para o prefeito Rui Palmeira [PSDB] e houve uma reunião só. Caso não seja aprovada a proposta, entramos em greve. Todos os sindicatos estão unidos e com certeza vai parar 50% em todas as áreas”, argumentou Lopes.

De acordo com Sidney, a prefeitura alega que não tem condições de pagar devido à crise financeira que o país tem vivenciado, mas a categoria diz que não é verdade.
“Estamos abaixo da Lei de Responsabilidade Fiscal [LRF]. A prefeitura pode chegar num percentual de 54% e hoje está em 46%. Então, ela tem uma margem para dar esse aumento ao servidor. Ela quer usar um direito que o servidor tem que é a proporção por mérito que é 5% em dois e dois anos, no entanto a gestão Rui Palmeira quer dá esse valor no lugar da reposição. Esse valor o servidor já tem adquirido. Então não podemos trocar direitos pela reposição salarial”.

O sindicalista critica também a forma que o prefeito Rui Palmeira negocia com os servidores.
“Ele não quer negociar com os servidores. Marcamos audiências e nunca somos atendidos. Ele diz na imprensa que está aberto a diálogo e não é verdade. Desde o dia 30 de janeiro mandamos ofício que a data-base da gente é em janeiro e até hoje não teve reunião com o prefeito e sim com o secretário de administração”.

Segundo o presidente do Sindspref, a realização da greve é um método positivo para que o prefeito possa atender os anseios da categoria. “A negociação é muito difícil. E ele só atende qualquer movimento se tiver uma paralisação e isso infelizmente prejudica a população, mas não tem outra alternativa. Deixar bem claro para a população que qualquer prejuízo que ela venha a ter, o culpado é o prefeito Rui. Hoje temos em torno de 13 mil servidores ativos e com os salários defasados desde 2015. A proposta da prefeitura desde 2016 foi 0% e continua sendo essa. Até agora a prefeitura não tem nenhuma proposta”.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH