Cidades

11 de maio de 2018 08:19

Artigos juninos já estampam vitrines

Nas lojas do Centro, comerciantes apostam em roupas e adereços, alguns com a temática da Copa do Mundo

↑ Lojas do Centro de Maceió já dispõem de roupas e artigos para o período junino; mesmo antes do início da Copa do Mundo, a temática já estampa vários adereços que ornamentam o São João (Foto: Adailson Calheiros)

A menos de um mês para começar os festejos juninos, os trajes típicos e decorações que são itens indispensáveis já começam a estampar as vitrines e prateleiras de algumas lojas do centro da Capital. Nesta época do ano, comerciantes apostam na venda de produtos como vestidos, chapéus e adereços, que estão entre os mais procurados pelos consumidores, de acordo com lojistas.

Em uma loja de fantasia no centro de Maceió, os tradicionais vestidos já estão à venda. E esta mesma loja também já começou a receber encomendas para o período. “A procura por roupas tradicionais do mês de são João já iniciaram desde início do mês. Nós vendemos e também recebemos encomendas dos clientes que geralmente chegam com os modelos para serem confeccionados. Temos muitas costuras para entregar e ainda estamos recebendo encomendas”, disse Ângela Farias atendente de loja.

De acordo com a atendente, a procura é maior para as vestimentas infantis. “As roupas infantis sempre tem maior saída e também geralmente as encomendas para os modelos infantis é maior”, ressalta.

Em relação aos valores, nessa loja pode ser encontrados vestidos juninos infantil entre R$ 120 a R$ 150 e adulto entre R$ 150 a R$ 180 a depender do modelo.

As costureiras da loja Zenier Valério e Sayonara Maria informaram que a demanda está dentro da expectativa e deve melhorar até o início de junho. “Há dois meses começamos as costuras de vestidos de quadrilhas. A procura está boa”, disse as costureiras da loja.

ARTIGOS

Em uma loja de artigos, também no Centro, o investimento são nos produtos juninos com as cores da bandeira do Brasil em alusão a Copa do Mundo, mas o colorido tradicional e as estampas  temáticas do festejos juninos também estão sendo comercializados.

“Os itens começaram a chegar. Hoje [quinta-feira, 11], começamos a arrumar a loja com os itens e adereços do período. O bom é que esse ano vai ser junto com a Copa. Então, estamos investindo nessa temática também. Nossa expectativa são as melhores. Acredito que as vendas vão ser boas. E notamos que os consumidores já começaram as pesquisas. Ainda estamos arrumando a loja. Vai chegar muita novidade nesta próxima semana”, conta o gerente Maurício Alves.

O gerente comenta que podem ser encontrados produtos a partir de R$ 2 até R$ 30. “O que tem muita saída são os chapéus de palha e bandeirolas decorativas  com valores que cabem no bolso do consumidor”, disse.

Encomendas de trajes para o período começaram

 

Os trabalhos das costureiras também já se iniciaram há muito tempo, e a tendência é aumentar ainda mais.

No ateliê de costura da Verônica Marques, as encomendas já começaram a chegar desde início do mês e ela garante que até o início das festas a demanda vai aumentar.

“Já estamos com muitas encomendas. Graças a Deus. E alas devem crescer ainda mais. Tem muita gente que deixar para fazer suas encomendas em cima da hora. Isso é bastante comum”, disse Verônica que já trabalha no ramo há 10 anos.

 

Verônica Marques diz que as encomendas começaram a chegar no início do mês e devem aumentar ainda no começo de junho: ‘Nesse período faturamos mais’ (Foto: Adailson Calheiros)

 

Verônica trabalha com mais duas pessoas. Para dá conta de todas as encomendas nesse período, ela contrata mais uma para agilizar o número de roupas a serem feitas.

“Esse período é o que mais faturamos. E no fim do ano também com a produção de fardamentos escolares. Então, trabalhamos até com hora extra. Quanto mais produção, mais lucro. Tanto para mim quanto para as companheiras de trabalho”, explica Verônica.

Em relação ao valor a costureira disse que varia bastante por conta dos detalhes do modelo da roupa e matéria prima utilizada. “As pessoas não costumam economizar no valor a ser pago. Elas querem que o vestido esteja perfeito. Muitas vezes eu tenho que ir para outro estado buscar matéria prima porque o que foi pedido não encontrei por aqui”, disse.

No ateliê, são confeccionadas roupas tanto para o sexo masculino quanto para feminino, adulto e infantil. “As encomendas são tão boas que tem gente que nos procura até querendo a roupa para o mesmo dia e outros de um dia para outro. Até reajustes as pessoas chegam aqui para fazermos”, comenta Verônica.

Outra costureira que também está com muitas encomendas, e inclusive já não está mais recebendo é a Vânia Siqueira. “Estou com muitas encomendas até julho. Por isso, não vou poder pegar mais. Ano de Copa, muito serviço. Além das roupas para junho, têm fardamentos de igreja, encomendas para copa. Estou trabalhando só é não consigo atender á demanda que este ano está muito grande”, disse a costureira.

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH