Cidades

16 de fevereiro de 2018 20:15

Equipe começa a investigar rachaduras em ruas no Pinheiro na segunda-feira

Defesa Civil de Maceió convocou uma equipe especializada nesta semana para averiguar situação

↑ Braskem ingressou com agravo de instrumento no TJAL buscando suspender liminar e sustentou que, até o momento, não há como precisar a responsabilidade civil da empresa pelo que está acontecendo nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro (Foto: Adailson Calheiros)

Uma equipe de trabalho deve iniciar, na próxima segunda-feira (19), uma investigação sobre as possíveis causas de rachaduras e buracos que apareceram em ruas no bairro do Pinheiro, na parta alta de Maceió, na quinta-feira (15). A Alameda Acre chegou a ser totalmente interditada pela Defesa Civil e parte da Rua Professor Mário Marroquim, nas proximidades da Igreja Matriz do Menino Jesus de Praga, também sofreu interdição.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos, o geólogo Abel Galindo é o profissional designado pelo poder municipal para apurar o que aconteceu no bairro do Pinheiro. De acordo com Lemos, Abel Galindo é experiente na região onde aconteceu a interdição da Defesa Civil, pois há três anos trabalha na localidade. “Ele já faz muitos trabalhos ali pelos conjuntos Jardim Acácia e Divaldo Suruagy. Esses apartamentos, às vezes, apresentam rachaduras e Abel Galindo conhece a área”, afirmou Lemos.

O coordenador afirmou que visitou a área na tarde desta sexta-feira (16) e vai com uma equipe neste sábado (17) para avaliar a situação. “O geólogo já viu o tamanho das fendas e nós já comunicamos a todos os órgãos, Casal, Algás, sobre o problema. Também evacuamos algumas moradias”, disse o coordenador.

Dinário Lemos disse que ainda é cedo para dizer o que causou as rachaduras nas ruas e que só a investigação que será iniciada na segunda-feira vai poder dar uma diretriz para a Defesa Civil.

O caso

Os moradores do bairro do Pinheiro, na parte alta de Maceió, ficaram assustados com rachaduras e fendas que apareceram em algumas vias nessa quinta-feira (15). A Alameda Acre, por exemplo, foi totalmente interditada.

Populares da região chegaram a falar sobre mal funcionamento de tubulações de gás, sumidouros causados por áreas aterradas e até mesmo tremores de terra. Moradores ainda disseram que problemas com rachaduras nas vias e imóveis são frequentes na região, mas nunca viram algo dessa proporção.

O caso está com a Defesa Civil de Maceió, que convocou uma equipe especializada nesta semana para averiguar a situação.

Fonte: Texto: Rívison Batista

Comentários

MAIS NO TH