Cidades

16 de novembro de 2017 08:51

Instituto Lagoa Viva celebra avanços nos projetos de educação ambiental

Mobilização do programa gerou 270 projetos de integração entre escola e comunidade em 35 municípios alagoanos

↑ Ilustração / Lagoa Viva

Há 16 anos trabalhando educação ambiental em Alagoas, o Instituto Lagoa Viva (ILV) contabiliza em  2017 um avanço em suas ações educacionais junto às escolas e municípios alagoanos . Foram  realizados  270 (duzentos e setenta) Projetos de Intervenção e Integração Escola/Comunidade (PIIC), desenvolvidos  em escolas de 35 municípios. Todo esse material foi apresentado nos Encontros Regionais de Educação Ambiental Lagoa Viva (EREA) realizados nas quatro regiões de atuação do ILV e constituem importante base para as ações de 2018.

Os EREAs foram realizados nas cidades de Coruripe, Limoeiro de Anadia, Maceió e Atalaia entre 22 de setembro e 09 de novembro passados, numa programação que incluía reunião com as escolas participes do Programa Lagoa Viva, instituições parceiras e representantes da sociedade civil. A proposta era apresentar e discutir  os projetos já desenvolvidos e/ou sugeridos por estudantes, professores e outros membros da comunidade escolar e  suas interferências  na realidade socioambiental de cada região.

Os temas  apresentados foram diversos e variados, todos tendo  sempre como fio condutor a união entre  teoria e prática da educação ambiental, a exemplo  dos temas expostos: “Resíduos sólidos recicláveis, reaproveitáveis e coleta seletiva”, da Escola Municipal Heckel Tavares, “A terra pede socorro”, da Escola Municipal Professora Irene Francisco Lopes, ou a “Horta orgânica: Alimentação saudável e qualidade de vida”, da Escola Municipal José Nunes da Silva.

Para a presidente do Instituto Lagoa Viva,  professora Lenice Moraes,  o número de escolas e projetos apresentados evidencia  o fortalecimento do Programa de Educação Ambiental,  ampliando a   formação de  multiplicadores dentro das escolas e nas comunidades , com a inserção de  alunos , professores e pais   nos  problemas  ambientais das comunidades  onde eles vivem , estudam e trabalham .

“O ano de 2017 teve um resultado bastante gratificante, Tivemos uma participação expressiva de escolas e alunos, alcançando o item 4 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável [promovidos pela Organização das Nações Unidas], ‘Educação de Qualidade’, com aproximadamente 270 projetos de Intervenção e Integração Escola Comunidade. Também tive mos uma participação maior de gestores públicos, da comunidade, cooperativas de coleta seletiva de resíduos sólidos e associações comunitárias”, afirmou Lenice.

“O local mais apropriado para  trabalharmos as mudanças no comportamento da sociedade e fomentar uma atuação cidadã é na  escola. O fato  deste trabalho permitir  unir  teoria em sala de aula às práticas da vida cotidiana, é de grande impacto educacional e social”, defendeu Milton Pradines, gerente de Marketing e Relações Institucionais da Braskem.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH