Cidades

28 de julho de 2017 15:04

Prefeitura é autuada por causa de resíduos nas margens do Riacho Salgadinho

IMA emitiu infração por disposição inadequada e em desacordo com a legislação ambiental

Atualizada às 16h08

A prefeitura de Maceió recebeu mais uma autuação por causa da disposição irregular de resíduos, dessa vez depositados nas margens do Riacho Salgadinho. Desde o dia 07 de julho esse é o quinto auto de infração emitido pela equipe de fiscalização do Instituto do Meio Ambiente (IMA), por causa do mesmo problema, para a administração municipal.

A prefeitura retirou grande quantidade de resíduos de dentro do Riacho Salgadinho, nas imediações do Ministério Público Estadual, e deixou depositada nas margens. Os resíduos, que misturam lama e lixo, estão amontoados no local há dias, sem qualquer tipo de cuidado e isso tem sido causa de constantes reclamações pela população, principalmente as pessoas que residem, trabalham ou trafegam na região.

O auto foi aplicado por lançamento de “resíduos sólidos em desacordo com as exigências estabelecidas” na legislação ambiental. A prefeitura tem o prazo de 20 dias para se defender, mas espera-se que os resíduos sejam retirados imediatamente.

(Foto: Ascom / IMA-AL)

Prefeitura informa que trabalho de limpeza é para evitar alagamentos

A Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum) iniciou na última semana, mais uma etapa de limpeza do Riacho Salgadinho. A limpeza mecanizada está sendo feita por uma escavadeira hidráulica e visa diminuir os bancos de areia e retirar o lixo encontrado no riacho. Essa é uma ação que está no cronograma do órgão, mas foi reforçada devido às chuvas que caem na cidade. No início do ano, a Slum fez uma operação similar que retirou mais de 500 toneladas de resíduos do local.

O material recolhido é depositado às margens do Salgadinho para que fique completamente seco e possa ser transportado pelos veículos até o Aterro Sanitário, no Benedito Bentes. Essa precaução evita que o líquido seja espalhando pela cidade, levando mau cheiro.

“Esse é um trabalho que faz parte da programação da Prefeitura e minimiza os danos causados pelas fortes chuvas. Já tiramos, aproximadamente, 200 toneladas de resíduos e esse transporte para o Aterro precisa ser feito com cautela para não gerar mais prejuízos. Precisamos, também, lembrar que esse material retirado do Riacho é aquele  jogado nas ruas, nos córregos e nos canais. É necessário um verdadeiro pacto entre a população e o poder público para manter a cidade limpa”, reforçou Davi Maia, gestor da Slum.

O serviço deve durar mais 15 dias.

Slum realiza limpeza do Riacho Salgadinho para evitar alagamentos (Foto: Slum)

Autuações

Desde o dia 07 de julho esse é o quinto auto de infração emitido para a prefeitura de Maceió por causa do mesmo problema: disposição inadequada de resíduos sólidos. A partir de denúncias da população a equipe de fiscalização flagrou situações em que a falta de coleta tem dado cara de lixão para determinados bairros.

Os locais que mais chamaram a atenção: uma das vias de entrada do antigo lixão, no bairro da Cruz das Almas; a margem de um braço do Riacho Jacarecica, próximo a foz no bairro Jacarecica; área por trás do conjunto José Tenório, na Serraria; e margens da Avenida Pierre Chalita.

Isso sem contar na coleta ineficiente, nas ocupações irregulares existentes nas margens do Salgadinho, e que é diretamente responsável pela grande quantidade lixo carreada pelas águas das chuvas para a praia da Avenida. Problema que chegou até a atrapalhar a entrada e saída dos barcos de pesca na região.

Fonte: Assessorias / IMA-AL e Slum

Comentários

MAIS NO TH