Cidades

27 de junho de 2017 20:58

Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids promove festa junina em Maceió

Festa será animada por um grupo de coco de roda, sorteio de cestas básicas e distribuição de lanches

A Rede Nacional de Pessoas Vivendo comHIV/Aids em Alagoas (RNP+Alagoas) promove, nesta quarta-feira (28), uma animada comemoração dos festejos juninos para garantir mais um momento de diversão e alegria aos participantes do grupo. A atividade será realizada no horário das 13h às 17h, no Sesc Poço, em Maceió.

Prevendo a participação de cerca de 100 pessoas que recebem atendimento no Bloco I do PAM Salgadinho, a comemoração terá início com palestra do fisioterapeuta Marcus Vinícius Lira de Jesus, do Programa de Atenção Integral à Saúde do Idoso da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que abordará o tema “Aspectos Gerais da Atividade Física em Pessoas com HIV/Aids”’.

Seguindo com a programação, a festa será animada por um grupo de coco de roda, sorteio de cestas básicas e distribuição de lanches, iniciativas idealizadas com o intuito de promover maior integração entre todos  os participantes.

A Rede

A Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids é um movimento nacional que foi iniciado em 1995 e reúne pessoas soropositivas para o HIV. Sua atuação é voltada a proporcionar aos portadores do vírus HIV/Aids a oportunidade de se tornarem os principais protagonistas da história de luta contra a doença no país, conhecendo seus direitos e deveres enquanto cidadãos e também os mecanismos de políticas públicas de saúde.

Em Maceió, o tratamento de pessoas com HIV é realizado pelo PAM Salgadinho, pelo Hospital Escola Hélvio Auto (antigo HDT) e pelo Hospital Universitário. No PAM Salgadinho, esse atendimento é feito pelo Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), que funciona no bloco I.

No local, homens e mulheres têm acesso ao teste rápido, utilizado na detecção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) como HIV, Aids, Sífilis e Hepatites B e C. No caso de um diagnóstico positivo, o paciente passa a fazer o tratamento com o acompanhamento da equipe do Serviço de Assistência Especializada (SAE) do CTA, formada por médicos de diferentes especialidades e outros profissionais de saúde.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH