Cidades

17 de junho de 2017 19:44

Ministério Público vai a Marechal averiguar denúncias de comida estragada

Visita foi chefiada pelo coordenador da comissão, o promotor de Justiça José Antônio Malta Marques

A comissão instituída pelo Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL) para fiscalizar possíveis fraudes envolvendo doações e recursos destinados às vítimas das chuvas esteve em Marechal Deodoro para averiguar denúncias de que comida estragada tenha sido servida aos desalojados. Também havia suspeita de que a água recebida como doação estava sendo mal acondicionada e perdendo qualidade. 

A visita foi chefiada pelo coordenador da comissão, o promotor de Justiça José Antônio Malta Marques, e acompanhada pelo promotor de Marechal Deodoro, Silvio Azevedo. Depois de ouvirem algumas famílias afetadas e representantes da Prefeitura do município, foi decidido que o MPE requisitará à Polícia Civil a abertura de inquérito com o objetivo de apurar a denúncia.

“Constatamos que não há perda da qualidade da água doada. O que ocorre é que alguns botijões estão sujos e isso dá a impressão de a água estar barrenta, ou coisa parecida. Mas todos observamos que os vasilhames estão com sua integridade conservada. O que achamos foi um pequeno desajuste na logística de entrega desse material. Solicitamos à prefeitura que aprimore isso para que não falte água ou qualquer tipo de estrutura para as pessoas que ficaram sem suas casas”, disse o coordenador da comissão.

Quanto ao fornecimento de suposta alimentação estragada, os promotores de Justiça afirmaram que é preciso apurar a denúncia com mais profundidade. “Ouvimos os representantes da gestão do município e as pessoas que estão abrigadas nas escolas. Cada um tem uma versão da história. Mas essa é uma situação que precisa ser investigada com bastante cuidado, não podemos achar que foi apenas um engano ou um descuido. Temos que saber o que aconteceu de fato. Essa investigação ficará a cargo do promotor de Justiça do Marechal Deodoro, que terá total apoio da comissão em sua decisão”, completou o presidente da comissão.

O promotor de Marechal Deodoro, Silvio Azevedo, afirmou que requisitará à Polícia Civil abertura de inquérito para investigar a denúncia. “O fato é que algumas marmitas estavam com larvas, demonstrando que a comida estava totalmente estragada. Por isso, o café da manhã e o almoço foram jogados fora ontem. Vimos isso em algumas filmagens e fotos. Para saber o que aconteceu de fato, requisitaremos a abertura de inquérito. É preciso investigar se o fato ocorreu por negligência na manipulação dos alimentos ou foi um ato criminoso. Qualquer que tenha sido o motivo precisamos encontrar o responsável”, enfatizou.

Comentários

MAIS NO TH