Cidades

1 de junho de 2017 09:09

Mesmo em menor intensidade, chuva causa novas ocorrências

Em Palmeira, casas são destruídas e alguns trechos alagam novamente em Marechal

As chuvas de ontem (31) apesar de terem sido em menor intensidade, segundo boletim da Sala de Alerta da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), voltaram a causar alguns transtornos na capital e no interior de Alagoas.

Em Maceió, as chuvas impediram a retomada das buscas pela última vítima de um deslizamento de barreira na Grota da Santa Helena, no bairro do Santo Amaro, que continua desaparecida. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBM/AL), o solo na área está úmido e dificulta o trabalho, além de colocar em risco a vida da equipe, visto que pode haver um novo deslizamento. Já no bairro do Feitosa, um trecho da Ladeira da Moenda cedeu.

O coordenador da Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos, informou que a atenção nas áreas de risco permanece de forma ampla, com o trabalho das equipes do órgão. “Mantemos a atenção e o trabalho continua da mesma forma em todas as regiões. Em casos de risco de desabamento de imóveis, deslizamentos de barreiras e árvores com risco de queda, pedimos que acionem o nosso canal de atendimento, pelos números 0800 030 6205 e 3315-1437. Durante a madrugada, o chamado deve ser feito via Corpo de Bombeiros, no 193”, detalhou.

INTERIOR

O município de Marechal Deodoro reacendeu o alerta por causa das chuvas. Alguns pontos da cidade como a Ponte do Rio Estiva e Orla da Cidade voltaram a registrar alagamentos.

Na cidade, mais de seis mil famílias estão desabrigadas, sendo que boa parte delas foi para abrigos improvisados, residências de parentes ou ocuparam as casas de um residencial que estava prestes a ser inaugurado.

Já em Palmeira dos Índios, região Agreste, o temporal derrubou cerca de 20 casas, a maioria delas no povoado Tabacaria, onde vivia uma comunidade quilombola. Houve também bloqueio de estradas e suspensão de serviços após infiltração no teto de 80 prédios públicos.

Na cidade, 20 famílias ficaram desabrigadas e dezenas desalojadas. Com a elevação do nível do Riacho do Anjo, 16 famílias tiveram que sair das residências por causa do alagamento.

ALAGOAS

Em todo o Estado, 27 municípios foram impactados pelas fortes chuvas e tiveram a situação de emergência reconhecida pelo governador e pela União. O reconhecimento federal irá garantir que as prefeituras tenham acesso às ações de assistência à população e possam solicitar o apoio complementar do Governo Federal para o restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de áreas danificadas pelas chuvas dos últimos dias.

As cidades alagoanas que tiveram situação de emergência reconhecida são: Atalaia, Barra de Santo Antônio, Cajueiro, Capela, Chã Preta, Colônia Leopoldina, Coruripe, Coqueiro Seco, Igreja Nova, Japaratinga, Joaquim Gomes, Murici, Paulo Jacinto, Paripueira, Pilar, Quebrangulo, Rio Largo, Satuba, São Luiz do Quitunde, São Miguel dos Campos, Santa Luzia do Norte, Jacuípe, Jundiá, Viçosa e União dos Palmares. Maceió foi reconhecida em função dos alagamentos.

Precipitações devem diminuir amanhã

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, por meio da Sala de Alerta, disponibilizou a previsão do tempo para os próximos dias no Estado.

Hoje (1º) o tempo permanece instável durante todo o dia nas regiões do Litoral, Baixo São Francisco e Zona da Mata. As chuvas se mantêm com intensidade moderada. No Agreste, também há possibilidade de chuvas isoladas.

Segundo os meteorologistas, Antônio Henrique Mendonça e Vinícius Pinho, o alerta está mantido pelo menos até hoje devido à previsão de volta das chuvas com intensidade moderada nessas regiões.

“O aviso meteorológico se mantém para hoje principalmente por causa das áreas de encostas aqui de Maceió. Pois o solo ainda encontra-se saturado, podendo ter deslizamentos de terras. Por mais que a intensidade das chuvas sejam fracas o solo não consegue absorver, logo o escoamento superficial acontece”, ressaltou Antônio Henrique.

Amanhã (2) a tendência é que a nebulosidade diminua, alternando entre tempo seco e sol. Há possibilidade de chuvas fracas e rápidas nas regiões da Zona da Mata, Litoral e Baixo São Francisco. Nas regiões do Agreste e Sertão, o tempo permanecerá parcialmente nublado com chances remotas de chuva.

O meteorologista Vinicius disse que as chuvas estão dentro do previsto e deve diminuir no fim de semana. “Essa chuva foi totalmente dentro do previsto. A tendência é que diminua no fim de semana”, informou.

Em relação aos rios e lagoas ele esclareceu que mesmo com as chuvas previstas para hoje e amanhã, seus níveis estão diminuindo e escoando normalmente. “Nossa maior preocupação nesse momento são as áreas de risco de deslizamentos principalmente na Capital”, ressaltou o meteorologista.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH