Cidades

30 de maio de 2017 08:47

Previsão aponta chuvas durante quarta e quinta-feira

Nível das lagoas Mundaú e Manguaba deve continuar a subir

Segundo o meteorologista da sala de Alerta da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Antônio Henrique Mendonça do Nascimento, as chuvas devem diminuir nesta terça-feira (30) e volta a chover na quarta-feira (31) e na quinta-feira (1), porém em menor intensidade do que a registrada na semana passada.

“As chuvas vão dar uma trégua, e voltam na quarta e quinta-feira em intensidade muito menor. Isso é normal porque estamos no período da quadra chuvosa (período de chuvas para região leste do Nordeste)”, disse o meteorologista.

De acordo com Henrique Mendonça, o volume de chuvas foi maior que em 2010. Segundo ele, em Maceió os volumes ficaram entorno de 700mm, isso significa 1/4 do total para o ano inteiro. Já em todo o Estado ainda está sendo feito o levantamento.               

“O volume de chuva foi maior que em 2010. Esse ano choveu 25% do era esperado para o ano inteiro. Graças ao trabalho da sala de alerta da Semarh conseguimos alertar com antecedência a Defesa Civil para evitar maiores transtornos. O primeiro alerta foi dado na quinta-feira (18).

RIOS

O nível dos rios Paraíba e Mundaú permanece elevado, embora tenha se estabilizado. Os especialistas também estão de olho nos níveis das lagoas Mundaú e Manguaba, que mesmo com a diminuição das chuvas permanecem a acumular água pelos próximos dois dias.

26 municípios alagoanos são atingidos pelas precipitações

As chuvas que caíram em Alagoas durante a última semana deixaram uma série de prejuízos em várias cidades. Segundo o CBM/AL, ao todo 26 cidades foram afetadas com as fortes chuvas. Só em Marechal Deodoro, mais de cinco mil pessoas foram afetadas com o temporal segundo a assessoria de comunicação da cidade. Os números divulgados pelo CBM/AL mostra que, 553 famílias ficaram desabrigadas, 1.778 desalojadas e 750 foram realocadas no município de Marechal Deodoro.

De acordo com o boletim, o Corpo de Bombeiros atendeu 59 ocorrências relacionadas às chuvas do dia 26 até o dia 29 de maio. 115 pessoas foram atendidas, sendo 64 na capital e 51 no interior.

A Defesa Civil Estadual disse que o quadro se agravou nos dias 25, 26 e 27, onde as precipitações ocasionaram deslizamentos, queda de árvores, e aumento no volume dos rios.

O coordenador da Defesa Civil Estadual, major Moisés Henrique, explicou que a situação mais grave são nas cidades de Campestre, Jacuípe e em Marechal Deodoro. Além dessas cidades, Pilar e Rio Largo também estão em situação crítica. Pilar tem 300 desabrigados e 500 desalojados. Já em Rio Largo são 523 desabrigados e 500 desalojados.

CAPITAL

700 famílias foram atingidas pela chuva e atendidas pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas). Dessas, 39 estão no abrigo do município, montado na Escola Municipal Nosso Lar, no Vergel, e outras 20 Na Igreja São José, no e mais oito no Clube Recreio em Fernão Velho. Ontem, o Centro de Atendimento Socioassistencial (Casa) atendeu exclusivamente as vítimas da chuva em Maceió,

De acordo com o último boletim da Secretaria Adjunta Especial de Defesa Civil de Maceió foram contabilizados 135 deslizamentos de barreira, 62 desabamentos de residências, 43 quedas de árvores, 17 pontos de inundação, 91 ameaças de quedas de árvores, 21 locais com ameaças de deslizamentos de barreira e 59 imóveis com a estrutura comprometida.

Já em relação ao número de mortes até ontem tinham sido confirmadas cinco mortes pelo Corpo de Bombeiros Militar, segundo os dados oficiais. Quatro pessoas estão desaparecidas. As equipes estão atuando na busca pelos desaparecidos.

No fim de semana em Satuba, um adolescente de 13 anos estava nadando no Rio Mundaú com amigos e desapareceu. As buscas continuam.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH