Cidades

18 de maio de 2017 07:58

‘Pescadores de Mel’ faz um balanço das atividades no Dia do Apicultor

Iniciativa contribui para mudar a vida de pescadores de Maceió, Coqueiro Seco, Marechal Deodoro e Barra de São Miguel

O dia 22 de maio é uma data reservada para um dos profissionais que mais tem consciência ambiental e compreendem os ciclos da natureza: o apicultor. É ele que cuida das colmeias onde as abelhas produzem o mel e, a própolis . É  trabalho do apicultor que permite que o mel chegue aos locais de venda  e  daí até nossos lares. E para aumentar em Alagoas o número desses profissionais e para criar alternativas de renda para aqueles que desempenham a  atividade da pesca, que o  “Projeto Pescadores de Mel” foi  criado em 2006 pela União dos Produtores de Própolis Vermelha do Estado de Alagoas (Uniprópolis) com o patrocínio da Braskem. Todo esse trabalho de  capacitação já formou  mais de 80 apicultores – produtores de quatro municípios alagoanos.

O projeto atua nos municípios de Barra de São Miguel, Coqueiro Seco, Maceió e Marechal Deodoro, com a capacitação e certificação dos pescadores/apicultores, fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), roupas específicas para a atividade, compra de colmeias e assistência técnica aos novos apicultores.

Com todas essas ações e potencial de crescimento, a iniciativa tem ajudado a transformar vidas em sua área de abrangência que compreende os manguezais do complexo lagunar Mundaú-Manguaba, principalmente após a descoberta da a Própolis Vermelha de Alagoas, um produto único no mundo e  que conquistou o registro de Indicação Geográfica concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Indústria (INPI).

Um desses pescadores-apicultores participante do Projeto,  é Edvaldo Bernardino, que mora em Coqueiro Seco. O apicultor revelou que é atendido pelo “Projeto Pescadores de Mel” há oito anos e como a iniciativa o ajudou a mudar de vida através da produção e comercialização de mel e própolis no município .

“Não imaginava que a apicultura tivesse esse enorme potencial de mudar a minha vida como um todo. Transformou minha condição financeira, me ensinou a respeitar a natureza, me fez ter consciência ambiental. Hoje, por onde passo, observo as floradas e a paisagem como um todo e recrimino quando vejo alguém fazer algo errado com a natureza”, frisou Edvaldo Bernardino.

O apicultor também revelou quais os planos para o seu futuro na atividade. “Sempre quando posso, me capacito, participo de cursos, seminários. A ideia é me capacitar mais e buscar investimentos para produzir mais, vender mais e, consequentemente, crescer como apicultor”, concluiu.

De acordo com Mário Calheiros, coordenador do “Projeto Pescadores de Mel” e gestor ambiental do Cinturão Verde da Braskem a iniciativa também tem um forte cunho social e sustentável. O coordenador ressaltou que as ações do projeto podem trazer resultados bem mais amplos do que o esperado pelos parceiros.

“A apicultura é uma atividade ecologicamente correta e ambientalmente justa. Com esse projeto, trabalhando conceitos sustentáveis junto aos pescadores e apicultores, estamos ajudando a preservar os manguezais daquela região. O manguezal é o berçário da vida marinha. Quando preservamos esse tipo de vida, contribuímos para que a indústria pesqueira e o turismo também passem a ser mais sustentáveis. Esse projeto beneficia direta e indiretamente diversas cadeias”, finalizou Mário Calheiros.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH