Cidades

10 de abril de 2017 17:39

Instituto do Meio Ambiente identifica branqueamento de corais na Piscina do Amor

Fenômeno geralmente está relacionado à temperatura ou qualidade da água, mas as causas ainda não foram identificadas

Técnicos do Gerenciamento Costeiro do Instituto do Meio Ambiente (IMA-AL) identificaram, na manhã desta segunda-feira (10), durante ação de monitoramento, o branqueamento em uma parte considerável dos corais na Piscina do Amor, localizada na enseada da Pajuçara, em Maceió.

(Foto: Ascom / IMA-AL)

Segundo o coordenador de Gerenciamento Costeiro (Gerco), Ricardo César, o Instituto irá convidar especialistas da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) para trabalhar no diagnóstico da área. Ele disse ainda que o problema já foi percebido em outros recifes da enseada, mas a Piscina do Amor chama a atenção pelo tamanho da área atingida.

“Em toda minha carreira eu nunca havia presenciado um branqueamento nessas proporções naquela região”, afirmou.

De acordo com o coordenador do Gerco, o branqueamento ocorre quando algum estresse, geralmente relacionado à temperatura ou qualidade da água, faz com que os corais expulsem as algas microscópicas que vivem em simbiose com eles.

(Foto: Ascom / IMA-AL)

“Essas algas, chamadas zooxantelas, além de lhes darem as cores características, são sua principal fonte de alimento. Quando a água superaquece, esses organismos se deslocam, deixando os corais sem alimento e suscetíveis a doenças, levando muitas vezes a morte dos mesmos”, explicou.

Fonte: Agência Alagoas

Comentários

MAIS NO TH