Cidades

24 de novembro de 2016 10:07

Prefeito Rui Palmeira não descarta apoio às prévias carnavalescas de Maceió

Pronunciamento ocorre após diretoria do bloco Pinto da Madrugada anunciar que não desfilará no próximo ano

O prefeito reeleito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) informou à imprensa na quarta-feira (23), que não descarta a possiblidade de ajudar no desfile das prévias carnavalescas na capital. O pronunciamento ocorreu após a diretoria do Pinto da Madrugada anunciar por meio de nota, na última segunda-feira (21), que o bloco não vai desfilar nas prévias de 2017 por conta da crise e da saída de um dos dirigentes.

O prefeito informou que, no entanto, no momento não poderia afirmar nada porque ainda não analisou o orçamento. Segundo Rui Palmeira, a Prefeitura ainda não definiu nada em relação ao orçamento para as prévias e nem para o carnaval em Maceió.

“Espero que consigamos ajudar de alguma forma, mas não tem nada certo ainda”, expôs o prefeito.

Rui Palmeira também falou sobre o Maceió Verão, temporada de shows com atrações locais e nacionais que acontece na orla da capital em janeiro.  De acordo com o prefeito, também não tem nada confirmado sobre a realização do evento.  E que, por instante, a Prefeitura está em busca de parceria de empresas privadas. “Se não conseguirmos com o setor privado, não vamos ter como fazer o evento com recursos próprios”.

A equipe do Tribuna Independente entrou em contato com a Prefeitura de Maceió e em nota ela informou que tem assegurado o apoio em infraestrutura para a realização de eventos da cultura popular, como o Carnaval, e garantido que as agremiações e blocos, assim como a população, em geral, saiam às ruas para participar dos festejos.

A Prefeitura informou que, quando há recursos públicos disponíveis, a Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac) tem lançado editais à participação democrática de todas as entidades constituídas e que para as festividades do próximo ano, qualquer movimentação neste sentido depende do Orçamento para 2017, ainda em aprovação.

PINTO

A decisão dos dirigentes do bloco Pinto da Madrugada aconteceu após sucessivas reuniões entre dirigentes, conselheiros e colaboradores mais próximos.

Em entrevista à reportagem do Tribuna Independente, Marcos Davi, um dos diretores do bloco,  disse que a decisão resultou na dificuldade de prosseguir diante do cenário de crise. “Não estamos conjuntamente com os três diretores, porque um não está mais, e em 2017 não temos condições de sairmos. As questões do Pinto da Madrugada não sair no ano que vem são nossas, internas, porém dentro da situação que o país enfrenta. Não podemos ficar alheios e isentos da realidade que a sociedade está passando”, explicou.

O dirigente disse ainda que a vida inteira foi de batalha em busca de patrocínios, realizando diversos eventos para conseguir recursos. No momento, insuficientes para garantir condições do bloco sair.

O diretor frisou ainda que o bloco saiu este ano de forma reduzida porque não teve apoio da Prefeitura Municipal e os organizadores precisaram cancelar o famoso ‘Mungunzá do Pinto’, que abria as prévias carnavalescas uma semana antes do desfile. A diretoria alegou que sem a contribuição da Prefeitura ficaria inviável arcar com todas as despesas que englobam 15 orquestras de frevo e aproximadamente 600 músicos para garantir a animação de 220 mil foliões, que desfilam na Orla da Pajuçara há 16 anos.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH