Cidades

17 de outubro de 2016 17:13

Ufal coleta imagens de monitoramento de assalto na RUA e envia para a PF

Câmeras capturaram ação de seis suspeitos, dois deles portando arma de fogo

Na tarde desta segunda-feira (17), a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) convocou entrevista coletiva para mostrar o posicionamento da instituição sobre o problema de segurança no campus A.C. Simões, localizado no bairro da Cidade Universitária, parte alta de Maceió, que culminou com o caso de assalto na Residência Universitária Alagoana (RUA) por volta da uma hora da madrugada desta segunda. Imagens do sistema de videomonitoramento foram coletadas e serão enviadas para a Polícia Federal, que ficará encarregada da investigação. Além disso, a segurança patrimonial deve reforçar o trabalho nos postos de vigilância interna e a Polícia Militar irá aumentar a incidência de rondas no entorno da universidade.

Participaram da coletiva o vice-reitor José Vieira da Cruz, já que a reitora Valéria Correia está cumprindo agenda em Brasília; o superintendente de Infraestrutura da Ufal, Márcio Barboza; e o gerente de Serviços Gerais da universidade, Paulo Carvalho.

O vice-reitor comentou que recebeu com surpresa a informação do assalto e que a empresa que faz a vigilância patrimonial da universidade foi contatada para iniciar a apuração sobre o ocorrido.

O segurança agredido pelos suspeitos foi atingido com pontapés, mas que não causaram ferimento que necessitasse de atendimento médico urgente. Os vigilantes da universidade não trabalham armados, porque seria mais um ‘atrativo’ para os criminosos que costumam praticar delitos visando levar a arma dos seguranças particulares.

Imagens

“As imagens foram captadas, nós entramos em contato com a Polícia Federal, com o superintendente, vamos enviar as filmagens para a PF que é a quem compete a investigação, já que o fato ocorreu dentro da universidade”, disse José Vieira.

O gerente de Serviços Gerais informou que as imagens não informam claramente de onde vieram os invasores. Só se sabe que os seis suspeitos vieram pela parte de trás, mas não é possível confirmar se do lado que leva ao conjunto Village Campestre ou do lado que fica próximo ao conjunto Gama Lins.

“A gente vê o grupo passando perto da superintendência, seis indivíduos a pé, mas um deles estava com um capacete na mão, como se tivesse deixado alguma moto de prontidão para fugir. Também percebemos dois armados”, relatou Paulo Carvalho.

O gerente também declarou que no momento de iniciar a ação criminosa, alguns vestem capuz e os outros puxam a camisa para cobrir o rosto. As imagens não ajudam na questão da identificação dos suspeitos, pois, segundo o gerente, as imagens estão bastante escuras.

Melhorias na segurança

O superintendente Márcio Barboza relatou que a Ufal entrou em contato com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) sobre a elaboração do modelo que foi implantado naquele estado. O convênio está em processo. Técnicos da UFPE estiveram na Ufal durante três dias no final de setembro avaliando a segurança do campus A.C. Simões.

A entrega do projeto institucional deve acontecer até o final do mês de novembro, de acordo com o gerente de Serviços Gerais. O projeto servirá como referência para a realização da licitação.

No momento, duas empresas terceirizadas trabalham na segurança da universidade. Uma cuida do monitoramento eletrônico, enquanto outra vigia os postos fixos. São 99 pessoas trabalhando na segurança e 138 câmeras de videomonitoramento, além de sensores de presença.

Comentários

MAIS NO TH