Brasil

18 de janeiro de 2021 11:36

Alunos da rede particular de ensino retornam às aulas em Sergipe

Escolas deve seguir rigorosos protocolos sanitários para poder manter os alunos presencialmente.

↑ (Foto: Reprodução)

A partir desta segunda-feira (18), os estudantes das escolas da rede particular de ensino de Sergipe estão autorizados a retornar às instalações presencialmente.

Em Aracaju, as instituições de ensino vão precisar seguir rigorosamente um protocolo estabelecido pela prefeitura. O protocolo estabelece sete medidas institucionais de segurança sanitária e seis medidas individuais para profissionais da educação, alunos e responsáveis.

“Os protocolos preveem o distanciamento mínimo de 1,5m em qualquer situação dentro da escola. As instituições devem exigir dos alunos o distanciamento. Para a educação infantil tem que se ter um cuidado ainda maior”, disse o presidente da Federação dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado de Sergipe (Fenen), Renir Damasceno.

Todas as séries, desde as creches e berçários, até o ensino médio, estão autorizadas a voltar, mas o presidente da Fenen diz não saber se todas as instituições de ensino de todas os municípios vão retornar nesta segunda.

“Não dá para saber, no estado, se todas as escolas vão voltar. Cada prefeitura tem sua autonomia para definir se voltam ou não”, completou.

Distanciamento social

Sobre distanciamento social, a escola deve reorganizar as salas de aula e/ou fluxo de alunos para cumprir o distanciamento mínimo (1,5 m) entre pessoas e suspender temporariamente atividades em grupos de alunos, assim como jogos, competições, festas, reuniões, comemorações e atividades que envolvam coletividade.

Uso de máscara

Em relação ao uso de máscaras, as instituições de ensino devem assegurar a utilização obrigatória de máscara, que deve ser trocada a cada três horas ou quando apresentar umidade e/ou sujidade. Em relação à máscara de tecido, o protocolo estabelece que para ser eficiente, o equipamento deve atender aos seguintes critérios: ser dupla face; ser de uso individual; ser confeccionada preferencialmente em tecido de algodão, tricoline ou TNT; cobrir totalmente o nariz e a boca e ser higienizada corretamente.

Limpeza e desinfecção

No item limpeza e desinfecção, caberá às escolas intensificar a frequência dos procedimentos de limpeza e desinfecção de instalações sanitárias e todas as superfícies de grande contato. Sobre o controle de temperatura, as unidades de ensino devem aferir a temperatura corporal dos funcionários e alunos na entrada, restringindo o acesso e orientando a buscar o Sistema de Saúde caso esteja acima de 37,8ºC ou apresentem sintomas respiratórios.

Isolamento

No caso de pessoas que apresentem suspeita de contaminação, as escolas devem criar um ambiente para promoção do isolamento imediato de qualquer pessoa que apresente os sintomas característicos de contaminação, orientando-a e a seus familiares, a seguirem os procedimentos indicados pelas autoridades de saúde pública.

Transporte escolar

Quanto ao transporte escolar, o protocolo estabeleceu que o motorista do veículo e a equipe de suporte devem desinfectar e higienizar o veículo duas vezes ao dia e garantir o uso de máscara por todos, além de planejar para que os assentos fiquem espaçados.

Medidas individuais

Em relação às medidas individuais, o protocolo determina a higienização das mãos; o uso obrigatório de máscaras; o não compartilhamento de alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal e a aplicação da etiqueta respiratória.

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH