Brasil

21 de julho de 2020 14:31

Pesquisa aponta forte tendência do home office pós pandemia

Dentre os aspectos favoráveis, pesou a questão do deslocamento e o ambiente de trabalho em casa

↑ Home office (Imagem: Ilustração)

Um estudo realizada pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade São Paulo (FEA-USP), em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA), mostrou que 70% dos participantes gostariam de permanecer em home office mesmo quando voltarmos à normalidade pós pandêmica. Mais da metade dos entrevistados (o estudo ouviu 1566 profissionais) não tinham a rotina de teletrabalho e, dentre os aspectos favoráveis, pesou a questão do deslocamento e o quanto o ambiente de trabalho em casa oferece boas condições de saúde e segurança.

Agora, se o cenário que se apresenta é que o home office se tornará uma realidade num futuro próximo, temos a frente um entrave, inclusive apresentado na pesquisa: cerca de 20% dos entrevistados afirmaram não estar satisfeitos com a atuação da chefia, o que denota que é preciso investir em mais treinamentos para desenvolver a cultura de UX e colaboração com as melhores práticas de inovação.

Melina Alves, fundadora e CEO da DUXcoworkers, uma consultoria de UX focada em soluções criativas e inovadoras para o mercado de trabalho e usuários digitais explica que: “O futuro do trabalho já não cabe nas baias, não se importa com ostensivos escritórios e tem se tornado criativamente claustrofóbico, avessos à inovação”.

“A tecnologia digital redimensionou as relações quando abriu possibilidades como o trabalho remoto e, para que esse ecossistema se mantenha consistente, ele deve ser permeável às mudanças”, disse.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH