Brasil

9 de outubro de 2019 08:53

Ex-secretário de Estado é procurado pelo MP da Paraíba

Jardel Aderico é suspeito de participar de esquema de desvio de cerca de R$ 1 bilhão dos cofres públicos

↑ Polícia cumpre mandados da Operação Calvário, em João Pessoa | CBN/PB

Uma operação do Ministério Público Estadual da Paraíba, de combate a desvios de recursos públicos destinados à saúde e educação, cumpre nesta quarta-feira (9) dois mandados judiciais em Alagoas, um deles, de prisão em desfavor de Jardel Aderico, que foi secretário de Estado nos governos de Teotonio Vilela Filho (PSDB) e Renan Filho (MDB).

Os crimes ocorreram na Paraíba, onde resultaram em prejuízo de R$ 1 bilhão aos cofres públicos, mas a organização criminosa também atuou no Rio de Janeiro e outros estados, que não foram divulgados.

De acordo com o MPE-PB, a Operação Calvário V mira os crimes de desvio de recursos públicos estaduais, corrupção e lavagem de dinheiro. São cumpridos três mandados de prisão contra: Jardel Aderico da Silva, Ivan Burity de Almeida e Eduardo Simões Coutinho, e 25 de busca e apreensão.

Esses mandados são em desfavor de: Aléssio Trindade de Barros; José Arthur Viana Teixeira; Ivan Burity de Almeida, Pousada Potiguara/Camaratuba LTDA; Conesul Compercial e Tecnologia Educacional EIRELI; Márcio Nogueira Vignoli; Hilário Ananias Queiroz Nogueira; Editora Grafset LTDA; Vladimir dos Santos Neiva; J.R. Araújo Desenvolvimento Humano EIRELI/Editora Inteligência Relacional (em Ribeirão Preto/SP e Maceió/AL); Jardel da Silva Aderico; Antônio Carlos de Souza Rangel; Henaldo Vieira da Silva; Giovana Araújo Vieira; Mário Sérgio Santa Fé da Cruz; Eduardo Simões Coutinho; José Aledson de Moura; Instituto de Psicologia Clínica Educacional e Profissional (IPCEP), e Brink Mobil Equipamentos Educacionais LTDA (em Colombo/PR, Curitiba/PR, Campina Grande do Sul/PR e São Paulo/SP).

A operação conta com apoio operacional dos Ministérios Públicos dos Estados de São Paulo, Alagoas, Paraná e Rio de Janeiro, além da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH