Brasil

19 de setembro de 2018 20:49

Imagem mostra policiais atropelando suspeito na Grande São Paulo

Segundo a PM, "a conduta dos policiais militares se fez necessária para cessar a ação do infrator", que estaria tentando fugir

↑ Vídeo mostra PM atropelando suspeito em Suzano (SP) (Foto: Reprodução)

Imagens que circulam nas redes sociais mostram um carro do 32º Batalhão da PM atropelando um suspeito de moto que estaria sendo perseguido pelos policiais militares em Suzano sentido Poá, na região metropolitana de São Paulo, no último domingo (16).

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, o rapaz atropelado estava envolvido em uma tentativa de latrocínio que terminou com duas pessoas atingidas por disparos de arma de fogo — uma vítima e outro suspeito.

Ainda de acordo com a PM, policiais militares viram a ação criminosa e tentaram abordar o suspeito, mas ele “não obedeceu às reiteradas ordens de parada por diversas vezes causando risco a motoristas e transeuntes por onde trafegava em velocidade incompatível com a via”.

Para o tenente-coronel Adilson Paes de Souza, mestre em Direitos Humanos pela USP (Universidade de São Paulo), apesar de ser uma situação do momento, com o policial “à flor da pele precisando interferir na ação”, o POP (Procedimento Operacional Padrão) da Polícia Militar paulista não contempla o atropelamento como legítima durante perseguição a suspeitos.

“Os policiais estavam tentando evitar a fuga da pessoa, para prendê-la, mas fica difícil entender isso quando joga a viatura contra a moto, porque poderia matá-la. Se acontecesse de o condutor da moto morrer, legalmente não haveria justificativa para defender o policial, porque não daria para considerar legítima defesa”, exemplifica o coronel.

A assessoria da Polícia Militar defendeu a ação dos policiais que atropelaram o suspeito. “A conduta dos policiais militares se fez necessária para cessar a ação do infrator, que configurava, naquele momento, direção perigosa”, disse a PM em nota.

Depois do atropelamento, o suspeito foi socorrido e levado para a Santa Casa de Suzano. Após ser medicado, ele foi liberado e levado para o distrito policial, onde foi autuado em flagrante por roubo, lesão corporal, receptação e resistência.

Fonte: R7

Comentários

MAIS NO TH