Brasil

1 de setembro de 2018 20:00

Vice toma posse após prefeito ser encontrado morto com tiro na cabeça

Saulo Milhomem (PRTB) assumiu o cargo oficialmente, neste sábado (1º), durante cerimônia na Câmara de Vereadores

↑ Saulo Milhomem tomou posse após morte do prefeito de Miracema (Foto: Osterno Parrião / Divulgação)

Após a morte do prefeito de Miracema do Tocantins, Moisés Costa da Silva (MDB), o vice-prefeito, Saulo Milhomem (PRTB), foi empossado oficialmente no cargo neste sábado (1º). A cerimônia foi realizada na Câmara de Vereadores. Moisés foi encontrado morto dentro de uma caminhonete, na última quinta-feira (30), em uma estrada vicinal, entre os municípios de Miranorte e Rio dos Bois.

Saulo Milhomem tem 41 anos e é formado em educação física, em uma faculdade particular de Palmas. Exerceu o cargo de vereador em Miracema entre os anos de 2013 a 2016, quando foi eleito para o cargo de vice-prefeito.

“O desafio agora é dar tranquilidade à comunidade, por causa do momento. A cidade está em comoção. Também temos que dar sequência a projetos desenvolvidos e aqueles que temos em mente, além de buscar melhorias para o município”, disse o prefeito empossado.

A cidade está em luto. O prefeito conhecido como Moisés da Sercom foi enterrado nesta sexta-feira (31). Centenas de moradores lotaram a missa e velório do gestor. Boa parte do comércio permaneceu fechado durante todo o dia, assim como escolas e órgãos públicos.

foto

Moisés Costa da Silva foi encontrado morto com um tiro na cabeça (Foto: Divulgação / Prefeitura de Miracema)

Moisés foi encontrado dentro da caminhonete dele em uma estrada vicinal e tinha marca de um tiro na cabeça. Um revólver 38 foi encontrado no colo de Moisés, mas a polícia ainda não sabe a quem a arma pertencia.

A Polícia Civil investiga o caso e disse que tem três linhas principais de investigação: homicídio, latrocínio ou suicídio. O irmão do prefeito morto, Fidel Costa, disse que fez contato com ele momentos antes do desaparecimento nesta quinta-feira (31), e que não sabia de nenhuma ameaça ao político.

“Não sabemos de nenhuma ameaça. A família não percebeu nada, nem que estivesse agitado naquele dia. Estava tranquilo, conversei com ele minutos antes dele desaparecer. Esperamos que a justiça seja feita, a de Deus e dos homens”, disse Costa.

Moisés era contador e passou a manhã em Miranorte, cidade vizinha, atendendo clientes. Por volta de 11h, deixou os dois funcionários do escritório de contabilidade dele, que o acompanhavam, em um posto de gasolina e foi para a prefeitura, onde se reuniu com o prefeito de Miranorte. Ele chegou a avisar que estava indo buscar os funcionários, mas não apareceu.

Fonte: G1 / Texto: Jesana de Jesus

Comentários

MAIS NO TH