Brasil

15 de agosto de 2018 23:24

Unicamp amanhece com pichações racistas e ameaças em institutos

Instituto de Estudos da Linguagem e de Geociências tiveram suas paredes, banheiros e computadores pichados com suásticas e ameaças de massacre

↑ Foto: Reprodução

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) teve alguns de seus muros, banheiros, mesas e telas de computadores pichados com incitações racistas, apologias ao nazismo e à supremacia branca na noite desta terça-feira (14).

As pichações foram feitas no IEL (Instituto de Estudos da Linguagem) e no IG (Instituto de Geociências). A Biblioteca Antonio Cândido também foi alvo dos ataques racistas, suásticas foram desenhadas nas telas dos computadores.

Para a universidade, o maior problema não foi a degradação do patrimônio público, mas sim “o simbolismo dos desenhos e o teor das mensagens”. A nota em seu site ainda afirma que as ações são “totalmente incompatíveis com os valores da Unicamp e absolutamente inaceitáveis no âmbito de uma comunidade acadêmica que preza a democracia, a paz e a diversidade”.

Além das suásticas, das insitações racistas e apologia ao “Poder Branco”, outras pichações fazem ameaças aos alunos e à segurança na universidade. “Vai ter massacre Columbine”, diz uma das mensagens, fazendo referência ao massacre ocorrido em 1999, na Universidade de Columbine, no Colorado, Estados Unidos, que terminou com a morte de 15 pessoas, incluindo os estudantes que praticaram a chacina.

“A Reitoria tomará todas as providências para apurar o fato e prestará todo o apoio necessário às duas unidades para garantir que o autor desses atos deploráveis seja identificado e devidamente processado dentro e fora da Universidade.”

Uma estudante do IG, que pediu a reportagem do R7 para não ser identificada por segurança, disse que essa não é a primeira vez que inscrições ofensivas, racistas e nazistas aparecem pela universidade. “Isso acontece uma vez por semestre pelo menos e não pode ser considerado uma brincadeira, ainda mais pela referência dos desenhos. A gente fica preocupado com isso”, disse a aluna.

A nota ainda informa que as imagens das câmeras de segurança foram entregues à Polícia Civil e que um boletim de ocorrência foi registrado para que seja feita a investigação do caso.

Fonte: R7

Comentários

MAIS NO TH