Brasil

5 de maio de 2018 00:48

Filhote de nove meses ajuda cães em buscas de prédio que desabou

Vasty, Hope, Sarah e Wiki fazem parte do grupo de salvamento com cães do Corpo de Bombeiros de São Paulo

↑ Filhote Wiki, de 9 meses, é estagiário da corporação (Foto: Reprodução)

Os quatro cães farejadores que estão atuando nas buscas do edifício que ruiu após incêndio na madrugada da última terça-feira (1º), no Largo do Paissandu, têm sido fundamentais nas buscas por desaprecidos. Há, entre eles, uma espécie de “estagiário”: Wiki, de apenas 9 meses.

O R7 conversou o Cabo Gérson Ferreira, que trabalha no grupo de salvamento com cães, ao lado se sua companheira Sarah, um dos labradores que estão atuando nas buscas nos escombros do edifício Wilton Paes de Almeida.

O Corpo de Bombeiros de São Paulo possui ao todo oito cães farejadores. Quatro são da raça Pastor Belga Malinois e os outros quatro são Labradores. Nas buscas do incêndio, apenas os labradores estão participando.

A cadela mais experiente nesta ocorrência é fêmea Vasty, de 5 anos, reponsável por localizar o primeiro corpo entre os escombros. Depois vem Sarah, com 3 anos e meio, e Hope, de 1 ano e 8 meses. Já o macho Wiki, de apenas 9 meses, é uma espécie de estagiário em treinamento. “Ele está vindo para ter a experiência de trabalho em campo e se acostumar com a rotina das buscas”, explica.

De acordo com o bombeiro, os cães atuam em dupla e são divididos em turnos. A cada 20 minutos de trabalho, eles param para descansar por uma hora. Durante o descanso, eles são levados para uma viatura com água e ar condicionado. “Para nós é trabalho, ma não podemos esquecer que para eles é apenas diversão”, afirma.

Ferreria, que está na corporação há 16 anos, explica que cada agente atua apenas com o seu cão. “Eu trabalho só com a Sarah. Ela veio para mim com apenas 40 dias.” Questionado sobre o trabalho com sua parceira, ele não hesita “é minha maior paixão”. Ele ainda conta que durante a semana os animais dormem no quartel, mas que em feriados prolongados ou férias eles podem ser levados para casa.

Fonte: R7

Comentários

MAIS NO TH