Brasil

21 de março de 2017 17:59

Suspeito de envolvimento em morte de irmã de desembargador do RN é detido

Homem matou empresária após ficar com a mão presa no carro, diz polícia

Foi preso no fim da manhã desta terça-feira (21), o segundo suspeito de envolvimento na morte da empresária Célia Márcia Santos Cirne – irmã do desembargador Cláudio Santos, do Rio Grande do Norte. O crime ocorreu em 24 de dezembro de 2016, em Campina Grande, no Agreste paraibano, e o suspeito foi preso na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte.

De acordo com a Polícia Civil, o preso Cícero Wellington Batista  da Silva, 25 anos, assumiu a autoria dos disparos e disse que a intenção era roubar o carro, confessando que atirou porque a mulher fechou o vidro do veículo e prendeu a mão dele na hora do roubo.

“Passamos quase três meses tentando localizar essa pessoa. Ele informou que ele foi na intenção de roubar o carro. Tudo que foi levado foi a bolsa da vítima e não tinha nenhuma quantia nessa bolsa. Na hora do roubo, ordenou para que a vítima descesse do veículo, o vidro que estava aberto começou a se fechar e ele ficando com as mãos presas foi nesse momento que disparou”, relatou a delegada de homicídios Ellen Maria.

Ao G1, o suspeito disse estar arrependido. “Sei que falando isso não vai trazer ela de volta nem vai confortar a família dela. Foi rápido, não sei nem explicar. Só quero dizer que estou arrependido e quero pagar pelo que fiz”.

Segundo a Polícia Civil, o homem foi preso no bairro Nossa Senhora da Apresentação e está sendo levado para a cidade de Campina Grande. Ainda na tarde desta terça-feira, ele deve ser apresentado em uma coletiva de imprensa na Central de Polícia Civil. Contra este segundo suspeito já havia um mandado de prisão preventiva expedido pela justiça. Imagens gravadas por uma câmera de segurança na Rua Getúlio Vargas, onde aconteceu o assalto, mostram o momento em que a empresária é abordada e baleada.

O primeiro homem a ser preso seria o piloto da moto utilizada para dar fuga ao atirador. Segundo a polícia, outros suspeitos foram identificados e as investigações seguem. “Ele [homem preso] confessa a participação no crime, contando detalhes de horários. Ele afirmou que outra pessoa fez o disparo”, disse o delegado Cristiano Santana. O depoimento deste suspeito, ainda segundo o delegado, bate com as imagens do vídeo usado nas investigações.

Um suspeito preso tinha sido liberado em janeiro por ordem judicial e, segundo a Polícia Civil, com o decorrer das investigações será confirmado se ele estaria ou não envolvido no caso.

Fonte: G1

Comentários