Brasil

3 de fevereiro de 2017 10:23

Novos exames podem confirmar morte cerebral de dona Marisa nesta sexta

Hospital Sírio-Libanês informou na manhã de quinta-feira que ex-primeira-dama não tem fluxo cerebral

A ex-primeira-dama Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deve passar nesta sexta-feira (3) por novos exames para que os médicos possam constatar se de fato houve morte cerebral.

Dona Marisa não tem fluxo sanguíneo no cérebro, como informou o último boletim médico divulgado às 10h25 desta quinta (2) pelo Hospital Sírio Libanês, onde ela está internada desde que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico há 10 dias.

A ausência de circulação sanguínea no cérebro da ex-primeira-dama foi verificada após a realização de um exame doppler craniano. Depois do resultado do doppler, a família autorizou o início do procedimento para a doação de órgãos.

O protocolo oficial para a constatação da morte cerebral ainda exige que dois testes sejam realizados. O primeiro deve acontecer às 12h. O segundo, pelo menos seis horas após o primeiro e deve ser feito por outro médico para comprovar a perda definitiva e irreversível das funções cerebrais. Assim, a morte cerebral de dona Marisa Letícia só deverá ser confirmada após as 18h, segundo informações do hospital.

O ex-presidente Lula postou em seu perfil no Facebook uma mensagem sobre o protocolo de avaliação confirmando os horários dos exames.

A família já autorizou que a ventilação mecânica seja retirada depois da confirmação da morte cerebral.

Solidariedade

Na quinta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu a visita de políticos prestando condolências no Hospital Sírio-Libanês.

O presidente Michel Temer foi ao local acompanhando de José Sarney (PMDB), ex-presidente da República; Henrique Meirelles, ministro da Fazenda; José Serra (PSDB), ministro de Relações Exteriores; Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil; Eunício Oliveira (PMDB), novo presidente do Senado; Helder Barbalho (PMDB), ministro da Integração Nacional, e dos senadores Renan Calheiros (PMDB), Eduardo Braga (PMDB), Edison Lobão (PMDB) e Cassio Cunha Lima (PB).

Presidente Michel Temer e Lula (Foto: Beto Barata / Presidência da República)

O deputado federal Andrés Sanchez (PT) e o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), chegaram ao hospital logo após a comitiva de Temer. O vereador Eduardo Suplicy (PT) também esteve no local na noite passada.

Mais cedo, Lula recebeu o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no hospital. Fotos do encontro foram postadas nas redes sociais de Lula.

Nesta sexta, outras personalidades da polícia nacional comparecem ao hospital. Entre eles está o deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) falou rapidamente antes de entrar no hospital. Segundo ele, Marisa “não era simplesmente esposa do Lula, mas alguém que ajudou a fundar o PT e que tinha uma militância social muito importante”. O parlamentar também afirmou que o ex-presidente “está triste, mas firme”.

Ex-governadores do Rio Grande do Sul, os petistas Tarso Genro e Olívio Dutra também estiveram no hospital e não falaram com a imprensa.

Redes

O ex-presidente petista agradeceu nas redes sociais o apoio e as orações à sua mulher. “A família Lula da Silva agradece todas as manifestações de carinho e solidariedade recebidas nesses últimos 10 dias pela recuperação da ex-primeira-dama dona Marisa Letícia Lula da Silva. A família autorizou os procedimentos preparativos para a doação dos órgãos”, diz o post. Depois, a página do Facebook do ex-presidente atualizou a foto de perfil e colocou uma imagem do casal sorrindo.

Militantes do Partido dos Trabalhadores e da sindicalistas da CUT também prestaram homenagem à ex-primeira-dama na porta do hospital. Eles colocaram rosas e fizeram orações.

Post no Facebook do ex-presidente Lula sobre o estado de Dona Marisa (Foto: Facebook/Reprodução)

Lula conversa com FHC no Hospital Sírio-Libanês (Foto: Ricardo Stuckert/Reprodução)

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH