Brasil

29 de outubro de 2016 20:53

Ressaca deixa 'mar de areia', quebra deque e danifica quiosques no RJ

Avenida Delfim Moreira e mirante do Leblon foram interditados

A orla do Leblon, na Zona Sul do Rio, foi afetada por fortes ondas entre a noite de sexta (28) e a madrugada deste sábado (29). A Avenida Delfim Moreira chegou a ser fechada nos dois sentidos devido à ressaca e permaneceu assim até a tarde deste sábado. Quiosques do bairro tiveram cadeiras, mesas e equipamentos danificados; e o mirante do Leblon foi interditado.

Os irmãos Wanderson e Anderson Pinto da Costa, que trabalham em um desses quiosques há dois meses, dormiam no local quando foram surpreendidos. “Às 23h botamos nosso colchãozinho para dormir. Lá para 1h meu irmão acorda com as costas todas molhadas, levantamos a janela e já estava cheio de coisa aqui fora”, dizem.

Segundo os irmãos, as ondas mais fortes foram por volta das 4h30 deste sábado. Para escapar das ondas, Anderson e Wanderson ficaram sentados em cima do balcão do quiosque. A força da água foi tão grande que também jogou as cadeiras e um “cercadinho” com coco dentro para o meio da Avenida Delfim Moreira.

“Não tinha como a gente correr pra lugar nenhum, porque a água vinha tão rápido. Ficamos ali em cima [do quiosque]. Meu irmão sentado aqui com a coberta e eu deitado aqui no colo dele e toda hora a água ‘cuspindo’. Teve uma hora que era 4 e pouca da manhã, aí eu falei ‘já vem ela de novo’, só que eu pensei que era a mesma [onda] que vinha normal. Quando fui ver era a onda fortona , levou isso aqui tudo, até o negócio do coco”, disse Anderson.

Por volta das 7h30, era possível ver uma “montanha” de areia na rua. Garis faziam um mutirão para tentar minimizar os impactos deixados pelas ondas. De acordo com o subsecretário de Defesa Civil, a água chegou aos prédios.

“O pico máximo da ressaca foi às 5h, com as boias registrando 3,50 metros de altura. É algo bastante significativo e fez com que essa água toda trazendo essa areia viesse pra pista, invadindo até alguns prédios aqui do Leblon. Agora é esse trabalho de limpeza muito braçal pra que a via vá voltando ao normal”, afirmou Márcio Motta.

Sete quiosques foram afetados

Funcionários da Orla Rio estão, desde as primeiras horas da manhã, limpando e retirando a água dos sete quiosques que fazem parte da concessão e foram atingidos pela forte ressaca nesta madrugada. Os quiosques tiveram equipamentos e maquinários danificados, mas não houve nenhum dano às estruturas. Eles permanecerão fechados até a normalização do nível das ondas e a completa limpeza das unidades.

De acordo com a Orla Rio, essa ressaca foi mais forte do as registradas nas últimas décadas e, por isso, acabou atingindo também quiosques que não costumam ser afetados por este tipo de fenômeno.

Segundo o Centro de Operações RIO (COR), a Ciclovia Tim Maia, onde duas pessoas morreram durante uma ressaca no início do ano, também foi fechada. O local foi interditado ainda na noite de sexta, assim como o Mirante do Leblon. Lá, uma parte do deque foi quebrada pelas ondas.

Ainda de acordo com o COR, o trânsito foi desviado da Delfim Moreira para a Bartolomeu Mitre. Trabalhavam no local equipes da Defesa Civil, CET-Rio, Comlurb, Seconserva e Guarda Municipal.

A Comlurb informou que o trabalho de remoção da areia começou ainda na madrugada e o efetivo de garis e veículos foi reforçado para agilizar o serviço e liberar as pistas.

Segundo a empresa, foram mobilizados 196 garis e 24 veículos. A maior parte da areia recolhida é colocada de volta na praia.

O serviço continuará até a limpeza total das pistas e calçadas, com a área sendo liberada para circulação de carros e pessoas.

A Marinha já havia emitido aviso de ressaca num período de 7h, que vai até 22h deste sábado. As ondas podem variar entre 2,5m e 4m de altura.

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH