Brasil

25 de outubro de 2016 13:30

Novo comandante da PM do RJ toma posse e diz que vai reformular UPPs

Coronel Wolney Dias assume corporação em meio à crise financeira

O coronel Wolney Dias assumiu, nesta manhã de terça-feira (25), na sede do Batalhão de Choque no Centro do Rio, o comando da Polícia Militar. O coronel passa a comandar a corporação no momento de crise do projeto de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e da perspectiva de atraso de salários da corporação neste fim de ano.

Após a posse, o novo comandante disse que iniciou estudos para reformular as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). “Vamos fazer um estudo para remodelar o projeto. Podemos avançar para melhorar o que nós temos. Nossos recursos são limitados.Temos que fazer mais com menos”, afirmou.

O atual comandante da PM do Rio, o coronel Edison Duarte, que passou o cargo ao coronel Wolney Dias, assumiu em janeiro deste ano.

Mudanças a partir de segunda

De acordo com o coronel Dias, as mudanças na corporação começam na próxima segunda (31) após o segundo turno das eleições. “Eu farei mudanças a partir da próxima segunda. Inicialmente no escalão tático, consequentemente, no escalão de execução. Com vistas a melhorar a nossa estatística”, disse.

Segundo ele, todo o planejamento feito pelo ex-comandante Édison Duarte para o segundo turno das eleições será mantido.

Posse aconteceu na manhã desta terça-feira (25). (Foto: Marco Antônio Martins / G1 )

O coronel Duarte considera que durante os dez meses que esteve à frente da PM obteve avanços administrativos que permitiram otimizar os recursos. A prática evitou que a PM não tivesse munição para usar nas ruas. Apesar disso, o militar viu no mesmo período os índices de criminalidade como os roubos a pessoas aumentarem, principalmente, na capital do Estado.

Durante a posse do comentante da PM, o secretário de segurança do Rio, Roberto Sá, falou sobre as duras condições enfrentadas pela corporação, em meio à crise do estado.

“O Rio passa por um momento difícil. Não é novidade. Não há sociedade que sobreviva sem uma polícia. A taxa de homicídios ainda é muito alta mas se não houver seguranca não haverá paz”, afirmou.

O secretário disse ainda que a situação não deve melhorar este ano. “Vamos nos unir. Dignidade para o servidor policial. Se você (policial) não estiver seguro quem estará? Não vamos viver um mar de almirante pelo menos por um ano. Mas se não fizermos quem os fará?”, disse.

O Coronel Wolney Dias Ferreira comandou várias unidades da PM e ainda foi corregedor da corporação. O militar estava na reserva quando foi convidado pelo secretário Roberto Sá para assumir o cargo.

Novo comandante geral da PM, coronel Wolney Dias Ferreira (Foto: Reprodução Facebook)

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH