Política

14 de agosto de 2020 08:33

DEM não entrou no acordo de Rui Palmeira

Presidente do partido, José Thomaz Nonô comenta que articulação para apoio ao pré-candidato do MDB foi por conta de prefeito e governador

↑ Por vídeo em suas redes sociais, Nonô ressaltou que a escolha visou garantir melhores condições aos candidatos a vereador do partido (Foto: Assessoria)

O Democratas (DEM), partido presidido pelo secretário Municipal de Saúde, José Thomaz Nonô, tem sido um dos cobiçados para configurar apoio nas eleições para Prefeitura de Maceió este ano. Os três pré-candidatos com as maiores chances de ganhar o pleito – JHC (PSB), Alfredo Gaspar (MDB) e Davi Davino Filho (PP) –, já demonstraram interesse em ter o DEM como aliado.

Ao programa Conjuntura, da TV Mar, que é apresentado pelo jornalista Flávio Gomes de Barros, que também é editor da Coluna Conjuntura na Tribuna Independente, Thomaz Nonô falou por que o DEM não entrou no acordo entre o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (sem partido) com o governador Renan Filho (MDB), para a eleição deste ano e consequentemente o apoio à pré-candidatura de Alfredo Gaspar de Mendonça, ex-procurador-geral de Justiça.

“O acordo firmado entre o prefeito Rui Palmeira com o governador Renan Filho não englobou o DEM. É claro que eu respeito esta postura do prefeito Rui Palmeira em tomar esta decisão. Quando o prefeito decidiu deixar o seu antigo partido [o PSDB], nós do DEM oferecemos a sigla para que ele se filiasse, no entanto ele não optou por nenhuma legenda”, ressaltou Nonô.

Ao seu modo de gerir a sigla partidária, Thomaz Nonô destacou que precisa agir como presidente da sigla para não deixar o partido desamparado nesta eleição. Nonô tem deixado claro que o partido é importante para uma composição e vem crescendo eleitoralmente nos últimos anos.

O DEM, atualmente, segue integrante do governo Jair Bolsonaro e tem como presidentes Davi Alcolumbre, no Senado e Rodrigo Maia, da Câmara dos Deputados.

Nonô garantiu, ainda, que a decisão final sobre o apoio será dado nas convenções partidárias. O presidente estadual do DEM tem deixado evidente que marchar junto com Alfredo Gaspar de Mendonça é uma hipótese mais distante. Neste contexto, podem ter o apoio os pré-candidatos JHC e Davi Filho.

Ainda no DEM, quem vem tentando um acordo para que o partido esteja junto com o deputado federal JHC é o deputado estadual Davi Maia (DEM). O parlamentar é um dos grandes articuladores da pré-candidatura de JHC à Prefeitura de Maceió.

No entanto, o deputado Davi Maia destaca que o responsável pela palavra final para onde o DEM deve seguir nas eleições deste ano será dada por José Thomaz Nonô.

 

Fonte: Tribuna Independente / Editoria de Política

Comentários

MAIS NO TH