Ailton Villanova

23 de novembro de 2019

Namorado inconveniente

Madame Escolástica Trindade sempre foi uma mulher muito fina, séria, tolerante. Nem quando o marido Osberaldo – tremendo mulherengo -, era vivo, ela perdia a elegância. Quando o indigitado esticou as canelas, madame ficou sozinha com a filha menor para criar, a lindinha Estefânia Regina. Com muita dignidade, ela foi em frente. Estefânia Regina, lourinha […]

22 de novembro de 2019

Ah, aquele, sim! Valia a pena!

A verdade é que o Canáulio jamais gostou de trabalhar. Vivia na sombra da mulher, que era honestíssima e que se matava de trabalhar para manter a casa. Um dia, infelizmente, ela ficou desempregada porque a firma para a qual trabalhava, faliu. Então, o casal passou a enfrentar grandes dificuldades. Sem coragem de ir à […]

20 de novembro de 2019

“Doutor Figurinha”, o Puxa-saco!

Aquele que já teve a oportunidade de gozar da intimidade do poder, no Palácio Floriano, certamente conheceu uma figura que se notabilizou pela sua extrema subserviência. Entrava governo, saía governo, e ele firme, lambendo os chinelos dos manda-chuvas. Ainda hoje ele existe, agora chupando saco em outras plagas, certamente mais ativo e mais rasteiro que […]

19 de novembro de 2019

Simpatia furada

Cidadã simplória, inocente de pai e mãe, dona Vicência Castelo já tinha botado no mundo uma dúzia de filhos e estava pretendendo dar um basta na produção de rebentos. Ela, o marido Eusébio e a garotada residiam num pedaço de terra sertanejo, onde a água não brotava e nem pingava, havia anos. Um belo dia, […]

15 de novembro de 2019

As Piranhas e as Putas do Zé Flor

Analfabetão e mais grosso do que cuspe de bêbado, o prefeito José Florisvaldo, o proverbial Zé Flor, apeou-se do poder com uma grana preta no bolso. Corrupto até dizer basta, afanou o quanto pôde da edilidade, numa região tradicionalmente pobre e sofrida: o Sertão. Zé Flor transferiu a prefeitura municipal para o seu sucessor completamente […]

14 de novembro de 2019

A pomba, a merda e o gancho

Lá pelos idos da década de 50 a zona boêmia do Jaraguá, em Maceió, estava no auge. A partir das seis e meia da tarde o comércio formal com suas lojas e escritórios, cerrava as portas e aí entravam em cena os lupanares com suas luzes multicoloridas e suas prostitutas. Funcionavam nos andares superiores dos […]

13 de novembro de 2019

A pomba, a merda e o gancho

Lá pelos idos da década de 50 a zona boêmia do Jaraguá, em Maceió, estava no auge. A partir das seis e meia da tarde o comércio formal com suas lojas e escritórios, cerrava as portas e aí entravam em cena os lupanares com suas luzes multicoloridas e suas prostitutas. Funcionavam nos andares superiores dos […]

9 de novembro de 2019

Comerciante todo certinho

Vendedor de produtos para escritório e afins, o distinto Anfilófio Caetano baixou numa das mais simpáticas cidades da Zona da Mata e, como já era noite alta, ele procurou um hotel para acomodar-se. Procurou bastante, e, finalmente, encontrou um pensionato arrochadinho, mas bem decentezinho, e aboletou-se lá. Quando se preparava para tomar um banho antes […]

8 de novembro de 2019

Mentiu demais e… muito mal!

O tal de Nicomedes Crisólido sempre foi boçal. Boçal e burro. Desde pequeno. Depois de ter insistido em 37 vestibulares, aqui e lá fora, conseguiu ingressar no curso de Direito, o qual terminou aos trancos e barrancos, graças a ajuda (contrapartida financeira, melhor esclarecendo) de colegas de faculdade. Mediante paga, esses fazeram os seus trabalhos […]

7 de novembro de 2019

E O PRETO CONTINUOU PRETO!

À época em que o doutor Costa Rêgo era governador de Alagoas, trabalhava em palácio um negrão de quase 2 metros de tamanho, chamado Pedro Terto. Era considerado “pau pra toda obra” e fidelíssimo ao mandatário. Tertão, conforme era tratado, vez ou outra era designado por Costa Rêgo para cumprir missões de grande responsabilidade. Certa […]