Ailton Villanova

1 de Janeiro de 2018

Seria mesmo um matuto de sorte?

     O sertanejo José Florêncio vivia se gabando que era um sujeito de muita sorte. Em que pese analfabeto, entendia mais de matemática e aritmética do que certos engenheiros e outros profissionais da área de ciências exatas. Suas contas só somavam. Não dividiam, não multiplicavam e nem subtraíam. Quando o abordavam sobre esse particular, ele […]

30 de dezembro de 2017

O problema era o marido!

Aquele que viveu no Bom Parto dos ainda tempos áureos, entre os anos 50 e 60, principalmente os mais jovens, se lembra muito bem da singular figura do “Lindo”, cujo nome de batismo e nos assentamentos do Registro Civil é Linduarte Alcides Sobrinho. Lindo era operário da Fábrica Alexandria. Gomeirão, sorriso largo, apesar da ausência […]

29 de dezembro de 2017

– Mai uquié pinião, moço?

        Fora a esculhambação generalizada de tudo quanto é comunidade se achar no direito de fechar ruas, tocar fogo em pneus nessas vias públicas para impedir o direito de ir e vir das pessoas, de uns tempos para cá as passeatas e concentrações dos grupos dos chamados “sem terra” cresceram assustadoramente. Isso, na maior […]

28 de dezembro de 2017

Mas que falta de responsabilidade!

      O ajudante de obras Generino Paixão, o Genepa, chegou em casa boquinha da noite com o astral mais baixo do que poleiro de pato. Sua mulher, dona Severina, encostou nele:       – Quê que tu tem, que tá com essa cara, homem?!       E o Genepa:       – Não sabe o Raimundo, aquele meu […]

27 de dezembro de 2017

ORA, SE O FIOFÓ NÃO ERA DELE…!

      Fortão tipo Rambo, Francelino Maranhão – o proverbial França -, mudou da água para o vinho depois do prosaico transplante a que se submeteu.       Machão convicto,  o França dos tempos machescos foi um sujeito que degenerou adoidado com o mulherio. Um dia, quando passou sofrer de um incômodo invocado na parte traseira sentante, […]

23 de dezembro de 2017

Um Conto de Natal

O NASCIMENTO DO MENINO JESUS                       Aílton Villanova       Sol causticando. O esquelético jumento é puxado por um homem de caminhar vacilante, trôpego. O homem para, olha adiante. Só vê estrada acidentada e poeirenta. Vira-se e fala para a mulher que está montada no animal: – Tá doendo muito, Maria? Ela […]

22 de dezembro de 2017

Cavalo na contramão

Todo desmantelado, o sujeito deu entrada na delegacia de polícia do 5° Distrito (localizada no Tabuleiro do Martins), sentado numa cadeira de rodas, que era empurrada por um molecote. Tinha gaze e esparadrapo pelo corpo inteiro, exceto a língua e os caroços dos olhos. Mais parecia uma múmia. – Quero falar com o delegado! Ele […]

19 de dezembro de 2017

Limonada na genitália?! Que onda é essa?!

Quando veio estudar em Maceió, na década de 50, o Abelardo Aquino era um garoto de 15 anos. Palmeirense da melhor cepa, hospedou-se na residência de uma tia, dona Geni, que ficava no bairro do Prado, e habilitou-se ao primeiro ano ginasial num dos melhores colégios da capital, o Lyceu. Foi então que nele despertou […]

16 de dezembro de 2017

A origem da Bahia

      A História do Brasil é riquíssima em todos os sentidos. Belas passagens, intrigantes aventuras, heroicas sagas de desbravadores deste território-continente. Na História do Brasil intercalam-se também episódios que vão do dramático ao prosaico, ao hilário. Afinal, todos vividos por homens detentores do mais diversos caracteres.       Cada pedaço deste imenso torrão verde-amarelo emerge como […]

15 de dezembro de 2017

Orelhas estrangeiras

      Até os 35 anos de idade o Berenildo Carposo, também conhecido como Cavernoso, era analfabeto. Por conta disso, o melhor que conseguiu, até então, foi o emprego de carroceiro, com atuação mais efetiva no bairro da Levada, por um motivo justificável: seu ponto de apoio era o mercado municipal, de onde transportava mercadorias para […]