Ailton Villanova

12 de julho de 2019

A gargalhada era a dela!

Boêmio desde que começou a se entender por gente, Jozedalvo Gusmão vivia metido nas farras. Bastava pegar uma folguinha no calendário remunerado, por mais minúscula que fosse, procurava o bar mais próximo e danava-se a beber. O cara bebia tanto que nem tempo tinha para casar. Sua noiva Eglantine aguardava pacientemente que ele a levasse […]

11 de julho de 2019

Será que a galinha sabia?

Vianey Aragão sempre foi um cara pirado. Desde pequeno. Depois que se divorciou de madame Antuérpia, uma sertaneja invocadíssima, foi aí que sua piração triplicou. Em face disso, a família decidiu que o melhor para ele seria uma internação numa clínica de repouso, o que foi feito, e onde ele permaneceu durante cinco anos. Ao […]

10 de julho de 2019

Um corno tão bonzinho!

Encontrava-se o casal de namorados na maior sacanagem, prestes a dar por consolidada a transa quando, de repente, a mulher empurrou o cara para fora da cama e deu o brado: – O meu marido! Surpreso, o amante rebateu: – Que papo é esse? Você não disse que ele estava viajando? – Pois é. Ele […]

9 de julho de 2019

UM MARIDO MUITO LOUCO!

    A turma que viveu no Bom Parto da década de 50 – ou um pouquinho mais pra cá –, conheceu o “Lindo”. O nome verdadeiro dele era Luiz, mas ninguém o conhecia como tal, até porque no Bom Parto tinha Luizes pra mais da conta. Lindo era operário da finada Fábrica Alexandria. Sujeito educado, […]

5 de julho de 2019

Um pai pra lá de inconveniente

Finalzinho de tarde na orla marítima da Jatiuca, em Maceió, ventinho soprando maneiro. Uma delícia. No Bar do Raimundo, ambiente selecionado, uma patota bebia descontraída, enquanto apreciava, pela Tv, o bate bola entre Palmeiras e São Paulo. De repente, a quietude do ambiente foi quebrada com a chegada de um sujeito pra lá de biritado, […]

3 de julho de 2019

A canjica milagrosa

Hoje em dia se pode dizer que o velho Antupatro Fedegoso está vendendo saúde. Mas, um dia, ele esteve às portas da morte. Não faz muito tempo, ele jazia num leito, só esperando a hora de esticar as canelas. Era questão de minutos. Em redor do quase falecido, filhos, netos e sobrinhos, naquele clima pesadão […]

2 de julho de 2019

Trabalho levezinho

Enfrentando um sol de lascar, o pesquisador do IBGE bateu na porteira de um sitiozinho, no alto Sertão, onde tinha um matuto pitando o seu cigarrinho de palha, escorado numa árvore frondosa. – Bom dia, meu amigo. – saudou o visitante, suando em bicas – Sou pesquisador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e […]

28 de junho de 2019

O defunto vivo

Melhor teria lhe assentado o apelido de “Morto-Vivo”. Entretanto, a galera preferiu cognominá-lo de “Defunto”. E, Defunto, o Erisbaldo ficou sendo chamado até hoje. A história do Erisbaldo Nemésio é inusitada. Numa manhã quentíssima de muito sol, ele passou mal em pleno centro da cidade e caiu estatelado no asfalto. Populares o pegaram e o […]

27 de junho de 2019

“Amizade colorida”, qual é?

O Albidelardo de Lima parou o carro na porta da repartição onde a gostosa Luzia Maria trabalha e ela pinoteou pra dentro. Sem dizer palavra alguma, o cara arrancou cantando pneus, até chegar ao barzinho de sempre. – Uma cerveja, Zé Maria!  – foi logo pedindo ao garçom. Zé Maria despachou a bebida e o […]

26 de junho de 2019

Pintou cocô na piscina!

O amigo leitor que se identifica como Nestor Armindo S. Campos dá-se ao trabalho de me remeter um causo interessante. Ele vai abaixo papeado com todos os detalhes que o sobredito Nestor me passou. É um causo que fala de um sonho. Da ilusão de um bêbado, ele próprio. Conta o Nestor Armindo que estendeu-se […]