Ailton Villanova

18 de abril de 2019

ELE EXISTE, MAS…

Tremendo dum malandro, o baiano Baunílio da Anunciação era apenas um negrinho viajado, apesar de nunca ter martelado um prego numa broa. Sobreviveu até os 40 anos ninguém sabe explicar como! Um dia ele ficou famoso em todo o mundo por ter permanecido morto um dia inteiro e depois ressuscitado. Manchete em todos os jornais do planeta, a notícia chegou até o Vaticano, que mandou chamá-lo imediatamente. Tratado com toda pompa e circunstância, ele foi recebido pelo próprio papa:

– Meu filho, o futuro da doutrina católica e de toda a fé cristã está nas suas mãos. Você é a primeira pessoa a ultrapassar a barreira do desconhecido. Então me responda, com toda sinceridade: Deus existe?

Meio sem jeito Buanílio respondeu:

– Sinto muito, Santidade, mas Deus não existe, não!

O Sumo Pontífice quase teve um ataque cardíaco, com a revelação. Depois, refeito do susto, ponderou com o negrinho que essa notícia iria abalar séculos de tradição e prejudicar bilhões de pessoas em todo o mundo. Então, o papa pediu ao cara que não revelasse a descoberta a ninguém e como “gratidão” pelo seu silêncio Sua Santidade se dispôs a depositar 10 milhões de dólares em seu nome, em um banco da Suiça.

É claro que o Baunílio aceitou a oferta. Depois de alguns dias, ele foi chamado a Moscou, onde também foi indagado sobre a existência de Deus pelo líder soviético (o caso se passou antes da dissolução da União Sovietica). Mal podendo esconder um sorriso irônico, ele lascou lá:

– Sim! Deus existe sim!

Maior reboliço no Kremlin. O comunismo ateu mundial dependia do segredo daquela informação. Ofereceram 20 milhões de dólares pelo sigilo do baiano. Obviamente que ele aceitou a grana, que foi depositada naquela sua conta que fora aberta pelo Vaticano, na Suíça.

Assim que Baunílio voltou para o Brasil, a história se repetiu: o sortudo foi convidado pelos americanos a comparecer a Washington. Mandaram buscá-lo  num super-jato. Na Casa Branca, o presidente repetiu a mesmíssima pergunta e o baixinho não titubeou:

– Deus existe sim, senhor presidente! Eu estive com Ele!

– Graças a Deus! Nós americanos não podemos estar enganados em nossa fé cristã! – comentou o presidente, aliviado.

– Só tem um probleminha… – acrescentou o Baunílio.

– Probleminha? Qual?

– Deus é preto!

 

 

Só na ferragem…

 

Aconteceu na África do Sul, antes do Mandela ser presidente.

Um negrinho cortou o dedo numa brincadeira e correu à farmácia mais próxima. Com o dedo sangrando, ele perguntou ao farmacista:

– Tem aí Band-Aid da cor da pele?

-Olha, garoto! Fita isolante só na loja de ferragens ali na esquina!

 

 

Que judiação!

 

E naquela cidadezinha do interior todo mundo tem nome inusitado: Parâmetro de Souza, Hipotenusa da Silva, Astrolábio Pereira, Australopecto do Nascimento, e vai por aí…

Num dia com este, um dos moradores de lá encontrou com um amigo, aqui na Capital:

– Hibedonaldo! Há quanto tempo não o vejo, rapaz! Ah, pois, lá em casa temos duas recém-nascidas. Aureomicina e Penicilina!

– Ah, é? A gente também tem uma garotinha, de nome Maria!

– Maria, é? Que judiação! Botaram na menina nome de biscoito!

 

 

Velho vivo

 

Aos 90 anos de idade, professor Arquibaldo Barbosa foi ao médico para o seu checape anual.

– E aí, grande mestre, como vai a vida sexual? – perguntou o doutor.

E ele:

– Para lhe ser franco, doutor Guilherme, não vai nada mal. A mulher já não anda mais interessada, sabe…? E, na semana passada, saí com três lindas gatinhas, a mais velha com 21 anos!

– Mas na sua idade?! – espantou-se o médico. – Espero que ao menos o senhor tenha tomado suas precauções.

– Escute aqui, doutor: posso estar velho, mas não estou senil… É claro que dei a todas elas um nome falso!

 

 

Ambos na pior

 

O baixinho entra no bar, senta-se à mesa e logo um garçom aparece para atendê-lo:

– Boa noite, o que o senhor toma?

– Tomo vitamina C pela manhã, ônibus para ir ao serviço e uma aspirina quando tenho dor de cabeça.

– Desculpe acho que não fui claro. Eu quis dizer o que é que o senhor gostaria?

– Ah, tudo bem! Eu gostaria de ter uma Ferrari, de transar com a Vera Fischer e mandar minha sogra para o inferno

– Não é nada disso, meu senhor! Eu só gostaria de saber o que o senhor deseja beber.

– Ah, é isso? Bom… que é que você tem?

E o garçom:

– Eu? Nada, não… Só estou meio cansado e um pouco chateado porque o meu time, o ASA caiu para o grupo Z.

 

Com Diego Villanova

16 de abril de 2019

A agonia da repórter

Inteligente repórter da antiga Tribuna de Alagoas e da Gazeta de Alagoas, a jornalista Linda Lobo decidiu, um dia, alçar vôo mais alto e tomou a iniciativa de se transferir, com malas e bagagens para São Paulo, onde tentaria um emprego em qualquer jornal daquela capital. A bem da verdade, ela estava seguindo os passos […]

13 de abril de 2019

Cai na área, pô!

O episódio abaixo papeado foi revelado pelo sábio e inteligente Sebastião Nery, incontestavelmente o maior jornalista vivo do país. Nery sabe ser humorista quando lhe apetece, e exercita essa sua necessidade de valorizar o cômico, o pitoresco, com invulgar competência. Ele ironiza qualquer situação como ninguém. É um escritor imbatível. Compara o Nery, que desde […]

12 de abril de 2019

Todo cuidado é pouco!

Em que pese encontrar-se mais ou menos jovem, a solteiraça Fiderbalda Jordão, que não revela a idade nem a pau, já está aposentada do serviço publico federal. Assim que beneficiou-se desse direito constitucional, ela adquiriu o hábito de criar animais domésticos, “para preencher o vazio das horas”, garante. De modo que sua residência vive abarrotada […]

11 de abril de 2019

Como fazer pra voltar?

Hospedado num daqueles hotéis bacanas da Jatiúca, o turista pegou o carrão, com uma loura ao lado, e saiu para conhecer direitinho a bonita orla marítimo-lagunar de Maceió. Adiante, parou para pedir orientação a um camarada que escorava um poste: – Boa noite, meu amigo… – Boa noitche! – respondeu o sujeito com sotaque de […]

10 de abril de 2019

Quem manda mais: o juiz ou o soldado?

Desde os tempos da soldadesca do Império, os registros do cotidiano enfileiram milhares de episódios nos quais a figura do milico exsurge comparada à de, praticamente, um rei. Então, na época dos conflitos nos sertões nordestinos, o meganha impôs-se pela força do arbítrio, da perversidade. Ganhava mais fama aquele que mais vítima fizesse. Não estou […]

9 de abril de 2019

Finalmente, livre dela!

A sogra do Louribaldo Amêndola morreu de “agonia no coração”, quando assistia ao programa do José Luiz Datena, na televisão. O cara é dose pra hipopótamo e dona Orfilázia não era nada disso, em que pese parecer um pouco com o mamífero. Durante o velório, Louribaldo não tirava os olhos da finada, fato que chamou […]

6 de abril de 2019

De tijolada, em tijolada…

No tempo em que não existiam shoppings em Maceió, as grandes novidades da moda, as belíssimas e caríssimas jóias eram expostas nas vitrines das lojas especializadas da Rua do Comércio e Avenida Moreira Lima. Nos fins de tarde as madames da elite desfilavam por essas bastante concorridas artérias do centro comercial da capital, à procura […]

5 de abril de 2019

O reverendo ensaboado

Padre Lula e padre Bento, dois bem comportados – e quase santos – sacerdotes foram designados pela sua diocese para promoverem uma campanha catequética em determinada cidade do interior nordestino. Por recomendação dos seus superiores hierárquicos, eles ficaram hospedados num convento de freiras santinas e, para não incomodá-las, pouco saíam do quarto de dormir. Só […]

4 de abril de 2019

O NOVO GARANHÃO

Até se tornar rapazinho, Jubiracy Perdigão era tímido, quietão, muito na dele. Boa pinta, andou abalando corações femininos, principalmente de uma certa donzela intitulada Maria Agrícia, morena de curvas sensacionais e pernas maravilhosas. Foi com ela que se casou numa tarde de sábado chuvoso e friorento de um mês de junho já distante. Na noite […]