Antônio Pereira

9 de abril de 2021

Chega a ser inacreditável como Lula e Dilma erraram tanto nas indicações de ministros do STF

Diz o ditado que burrice não tem perdão. Acho que se encaixa perfeitamente nas indicações totalmente erradas que Lula e Dilma fizeram nos cargos de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Chega a ser inacreditável que os dois políticos com grande experiência e tendo tantos nomes de peso no campo progressista e de esquerda do Judiciária, puderam colocar tantos ministros que não servem para absolutamente nada, além de trabalharem para seus próprios interesses e, pasmem, destruir o Lula, Dilma e o petê. É ou não é para esticar um lado e outro da corda e rasgar???

Lula e Dilma indicaram nada mais nada menos do que 13 (treze) ministro. Isso mesmo, treze. Poderiam ter indicado o 14º, mas Dilma foi retirada do cargo por decisão do Supremo Tribunal Federal que liberou a votação do impeachment a mando dos ricos brasileiros, com a conivência da grande mídia e auxílio chique de um juiz parcial e seus procuradores amestrados.

Não estou dizendo que os dois petistas deveriam criar uma espécie de Supremo ideológico, mas, convenhamos, não acertaram em uma única indicação. Além do mais, colocaram ministros que funcionaram como escorpiões aplicando nos dois doses cavalares de traição.

A mais emblemática indicação que pode ilustrar perfeitamente o amadorismo, falta de noção e irresponsabilidade de Lula e do petê nas indicações do Supremo foi a de Joaquim Barbosa. Sim, o primeiro negro a ser ministro do STF aconteceu em um voo da antiga empresa Varig onde estava o amigo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o escritor Frei Betto. Ele conta que por acaso sentou ao lado de um homem negro, que logo puxou conversa o indagando se ele era o famoso Frei Betto. Respondendo que sim, o religioso passou todo o tempo do voo conversando com aquele homem que lhe informou ser do Judiciário. Logo depois dessa conversa corriqueira, frugal, Frei Betto fala para Lula que tem o nome ideal para ser o primeiro negro no Supremo e assim foi feito.

Algum tempo depois, Joaquim Barbosa protagoniza a maior ação judicial de cerco ao partido de Lula, na famosa ação do Mensalão, onde vários petistas foram presos, condenados e por muito pouco Lula não foi retirado do poder. Só ficou porque gozava de enorme apoio popular e tinha sido ‘poupado’ das investigações.

Joaquim Barbosa foi a luz amarela acesa, mas o petê não aprendeu nada com isso. Achando que a saída era indicar uma pessoa ligada diretamente ao partido, chegaram a conclusão que o cargo deveria ser dado ao advogado da legenda, homem de confiança do ex-ministro José Dirceu. Se nome: Dias Toffoli, que depois foi eleito presidente do STF, passando a ser peça-chave nas artimanhas do presidente Jair Bolsonaro, que chegou a triste constrangimento quando ‘marchou’ a pé direto ao STF, sem agendar, com um grupo de empresários para forçar a Suprema Corte e seu presidente a voltar atrás na determinação de que caberia aos governadores e prefeitos a ações para contenção do coronavírus no país.

Veja abaixo a lista das indicações de Lula e Dilma:

 

Ayres Britto foi nomeado Ministro do Supremo Tribunal Federal pelo Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, por decreto de 5 de junho de 2003.

Eros Grau foi nomeado Ministro do Supremo Tribunal Federal pelo Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, por decreto de 15 de junho de 2004.

Joaquim Barbosa foi indicado ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2003 e ocupou o cargo até aposentar-se voluntariamente em 2014.

Ricardo Lewandowski foi indicado por Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) para integrar o STF e tomou posse no dia 16 de março de 2006.

A ministra Cármen Lúcia foi indicada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e tomou posse em 21 de junho de 2006.

Cezar Peluso foi nomeado Ministro do Supremo Tribunal Federal por decreto de 5 de junho de 2003 do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ministro Dias Toffoli foi indicado ao STF por Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e assumiu em 23 de outubro de 2009.

O ministro Meneses Direito foi nomeado para Supremo Tribunal Federal, pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no cargo de Ministro em 5 de setembro de 2007.

O ministro Luiz Fux foi indicado ao STF pela ex-presidente Dilma Rousseff e assumiu em 3 de março de 2011.

A ministra Rosa Weber foi indicada ao STF por Dilma Rousseff e assumiu em 19 de dezembro de 2011.

Em 2012, Teori Zavascki foi indicado pela presidente Dilma Rousseff para ser ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro Luís Roberto Barroso foi indicado por Dilma Rousseff para ocupar uma vaga no STF e tomou posse em 26 junho de 2013.

O ministro Luiz Edson Fachin foi indicado para o STF por Dilma Rousseff e assumiu o cargo em 16 de junho de 2015.