Antônio Pereira

10 de fevereiro de 2021

O ator Bruno Gagliasso me representa

Ele é ator global, milionário e engajado politicamente com as pautas da esquerda brasileira. Estou falando do ator Bruno Gagliasso, que tem tido uma postura louvável nas redes sociais e demais plataformas digitais quando o assunto é posicionamento político. Ele não está só nesta luta, artistas como Chico Buarque de Holanda, Chico Cesar, Caetano Veloso e Paulo Betti para citar apenas quatro que fazem da sua rotina nas redes sociais uma trincheira contra tudo que se transformou o país nestes últimos anos e ainda mais agora com a chegada ao poder do pior presidente da história em todos os aspectos.

Bruno tem uma intensa atuação nas redes, sempre se posicionando em favor das bandeiras da chamada esquerda brasileira. Ele é pai de três crianças, duas das quais adotadas. Por conta do seu posicionamento e da sua esposa, a atriz Giovanna Ewbank, ele cortou relações com seu irmão, que é um entusiasta defensor do presidente Bolsonaro e do bolsonarismo como um todo.

Em publicação nas redes sociais, Gagliasso chamou atenção para a recente aproximação do senador com o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido).

“Chega a ser uma piada esse presidente que representaria tudo de ‘novo’ trazer pra ser seu conselheiro econômico um sujeito que fez tantas famílias sofrerem com sua política econômica. BolsoCollor é um escárnio”, escreveu o ator.

A crítica não passou despercebida pelo ex-presidente, que alfinetou Gagliasso e o acusou de querer “lacrar” nas redes sociais.

“Sujeito, para de espernear e querer lacrar. Aproveita o tempo vago e vai fazer algo de útil pelo Brasil. Se não conseguir, vai para Noronha e para de encher o saco.”

A discussão não parou por aí e Bruno Gagliasso respondeu ao senador: “Tá querendo palco, irmão? Eu não ganho dinheiro do povo pra estar no Twitter ofendendo os brasileiros. Eu sou um brasileiro pagador de impostos e você é meu funcionário. Vai trabalhar e me respeite.”

Perseguição

Todo esse engajamento político tem rendido ao ator dores de cabeça e muita reação negativa do chamado ‘gabinete do ódio’, supostamente comandado pelo filho 02 do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro.

Recentemente, Bruno Gagliasso usou o Twitter, para desabafar sobre as hostilidades de que ele e sua família foram alvos por conta de seu posicionamento político. O ator, famosos por diversas novelas da TV Globo, comentou sobre o tratamento que recebeu de policiais em uma rodovia, durante viagem no Rio de Janeiro.

“Meu carro com a minha família foi parado pela polícia na estrada de Buzios e trataram a gente como bandido. ‘Os lacradores devem estar cheios de drogas no porta malas”, disseram os policiais ao abordar o artista. “Tinha brinquedo da minha filha e roupa da minha filha”, disse Bruno indignado. “Durante meses, a Giovanna implorava para eu não falar nada sobre política porque ela não aguentava mais os ataques dessa gente imunda. E, agora, eles estão no poder”, escreveu.

Bruno e sua família são constantemente vítimas de fake news, numa campanha orquestrada para sujar sua imagem perante a opinião pública. “Recebi um e-mail de uma senhora que era minha fã há anos pedindo que deixasse de apoiar a pedofilia”. “Passamos meses tentando entender o que estava acontecendo, sendo difamados. Postaram fotos minhas com meu amigo de mais 18 anos dizendo que ele era meu namorado e a Gio era ‘fachada’ para esconder a pederastia”, completou.

Portanto, Bruno Gagliasso tem ainda mais méritos pelo seu posicionamento. Deixo aqui minha total solidariedade a ele e todos os outros artistas que lutam contra a maré neofascista que se abateu no Brasil.

Com informações do site: www.pragmatismopolitico.com.br