Antônio Pereira

14 de janeiro de 2021

O ator global e os riquinhos provincianos nos tempos do cólera

O caso do ator Henri Castelli que diz ter sido agredido gratuitamente por quatro homens de forma covarde, tendo ficado com o rosto desfigurado, mostra claramente que tipo de sociedade vivemos e como anda os bastidores das festas e eventos balados em Alagoas, a nova queridinha dos famosos.

Maceió, Barra de São Miguel e São Miguel dos Milagres passaram a ser destinos certos de famosos brasileiros de todo tipo. Isso sem falar das praias do Gunga, Francês, Japaratinha, Maragogi e tantas outras.

Dos realmente famosos e até as chamadas subcelebridades. É chic atualmente postar uma foto na exuberante enseada da Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca ou curtir um drink na paradisíaca São Miguel dos Milagres, local de casamentos de grande repercussão como o do youtuber alagoano, Carlinhos Maia com Lucas Guimarães. Antes disso outro casal famoso disse sim em Alagoas: Whindersson Nunes e a cantora Luísa Sonza também se casaram na capela Milagres.

Assim, de casamento em casamento, Alagoas passou a fazer parte do radar dos famosos, atraindo levas deles para o Estado. O ator Henri Castelli é um mais um. Ele é figurinha comum nas festas do novo High Society tupiniquim, rivalizando com Noronha e Salvador.

O final da história, onde o ator famoso acaba com o ‘queixo quebrado’, inúmeros hematomas e um roteiro de quinta categoria de brigas de bar não estava no script. Pelo que entendi até agora o que aconteceu foi o seguinte: Henri Castelli teria sido ‘contratado’ para fazer presença em uma casa de show de um empresário alagoano, que teria liberado 15 convites (cortesia) para o ator e seus amigos. Henri foi ao local, não gostou e depois se retirou de forma abrupta, indo ao encontro do tal empresário para tomar satisfação por o ter colocado em uma festa merda. Ânimos se exaltaram e o ator teria agredido o empresário. Turma do deixa disso entrou em ação e tudo foi acalmado.

Num segundo ato, o ator é localizado pelo empresário em outro local e foi à forra, desferindo vários golpes em Henri que precisou ser encaminhado a Santa Casa de Misericórdia de Maceió. Tudo isso aconteceu no dia 30 de dezembro. Bastante machucado, Henri disse aos amigos e fãs que tinha sofrido um acidente em uma academia. Depois ele se arrependeu da versão, gravou vários vídeos no Instagram, dando a versão de que teria sido agredido covardemente por quatro pessoas, das quais ele sabia o nome de duas. Aberto inquérito, agora a Polícia Civil de Alagoas, tendo à frente o ‘xerife’ Alfredo Gaspar de Mendonça, promete elucidar o caso.

Agora, a grande discussão em Alagoas é sobre quem começou a briga, sendo que se foi Henri, ele seria o culpado, numa lógica que não leva em conta as circunstâncias da agressão, muito menos na quantidade de pessoas que teriam agredido o ator. Segundo Henri, pelo menos quatro homens o agrediram de forma covarde à traição.

Durante todos esses fatos aconteceu algo inusitado, quando a atriz Antônia Fontenelle (famosa depois da morte do seu marido, o diretor da Globo Marcos Paulo), resolveu tomar as dores de Henri Castelli disferindo inúmeros ataques ao povo de Alagoas, sugerindo que os turistas, homens e mulheres, tivesse muito cuidado ao vir ao Estado devido a possibilidade de serem agredidos ou até mortos. As falas de Antônia repercutiram negativamente, com vários ‘influenciadores’ nordestinos condenando-a por generalizar, exagerando na suposta violência do povo alagoano.

Pronto, a história dessa novela das redes sociais é esta até o momento. Muito ainda vai ser falado, até que outra coisa surja para ofuscar mais esse escândalo cibernético de entretenimento.

Até o próximo capítulo.