Antônio Pereira

12 de janeiro de 2021

Ao se contrapor ao negacionismo e sabotagem de Bolsonaro, Rede Globo pode ter impedido desastre ainda maior

O que vou falar agora pode ser uma blasfêmia para muitos, mas estou seriamente convencido que se não fosse o empenho da Rede Globo de Televisão e seus jornalista em combater o negacionismo e as constantes sabotagens do governo Bolsonaro ao combate à Covid-19, poderíamos ter uma tragédia ainda maior, com muitos mais mortos do que temos agora.

Desde o primeiro dia da pandemia, a Globo se posicionou ao lado do que chamavam seus apresentadores de ciência, abrindo seus poderosos programas jornalísticos para especialistas, cientistas e toda sorte de entendidos no assunto, invariavelmente para desfazer alguma notícia falsa propalada pelo presidente da República ou seus ministros. Bolsonaro marcou sua ação durante a pandemia como um lunático suicida, mandando o povo não usar máscaras, não ficar isolado e tomar uma série de medicamentos sem a menor comprovação de eficácia, alguns, como a cloroquina poderiam até intensificar os sintomas da doença, correndo sério risco de morte, principalmente para as pessoas que tenham alguma comorbidade cardíaca.

Do outro lado da trincheira, a Rede Globo e seus jornalistas, incansavelmente alertavam o povo para a necessidade do distanciamento social, uso de máscaras e a desmistificação dos remédios sem eficácia comprovada.

Assim, volto a dizer, a história vai mostrar que a Rede Globo foi decisiva para evitar o aumento do número de mortes pela Covid no Brasil, além de formar um paredão de opinião contrária ao que propalavam o presidente, seus filhos, seus ministros e toda a rede de disseminadores de fake news, no chamado ‘gabinete do ódio’.

Foi graças a Rede Globo que fez contraponto firme às outras redes de televisão, alinhadas ao Palácio do Planalto e seu morador amalucado. Lembrando que a Rede Record, de propriedade do bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, dedica até hoje boa parte do seu noticiários para corroborar as sandices anticiência de Bolsonaro e sua trupe. O SBT, do empresário Sílvio Santos, foi mais além, colocando praticamente todos os dias ministros do governo e até mesmo Jair Bolsonaro para falar sobre a teoria da conspiração de que a Covid era apenas uma gripezinha e que não deveríamos dar bola para o distanciamento social, muitos menos restringir a circulação de pessoas no comércio e nos serviços como um todo.

Nessa luta entre as grandes redes de televisão cabe um capítulo especial à Rede Bandeirantes, que, a exemplo de Record e SBT abriu seus noticiários para dar substância ao que falavam Bolsonaro e seus miquinhos amestrados. Por ter um pouco mais de credibilidade que as duas outras, a Band foi ainda mais nociva neste tempo todo da campanha de descrédito à doença e as formas de combatê-la.

Como podemos ver, sobrou apenas a Globo para defender a ‘civilização’ dos loucos, insanos e seus cumplices nesta batalha pela vida ou morte que estamos embrenhados até agora.

Depois de tanto tempo falando mal da Globo, tenho que reconhecer seus méritos durante esta pandemia. Sei muito bem que do ponto de vista econômico, a Globo e muitos dos seus jornalistas são aliados do governo Bolsonaro no desmonte do que chamamos de soberania nacional, mas pelo menos agora na luta pela vida, a Globo preferiu a vida.

Parabéns.