Blog do Dresch

23 de janeiro de 2019

Papa considera abusos intoleráveis

Um dos principais temas a ser discutido no encontro de religiosos de todo o mundo com o Papa Francisco (21 a 24 de fevereiro, no Vaticano), será o combate ao abuso infantil. O porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti disse que o Papa quer uma ação integrada dos bispos para combater o problema de forma global. “Um problema de abrangência global precisa ser enfrentado de forma global” ressaltou o porta-voz.

Abusos intoleráveis 2

Ainda de acordo com Gisotti, “Francisco quer que os religiosos após o encontro, ao retornar a seus países estejam cientes das regras a serem aplicadas e cumpram as medidas necessárias para evitar abusos, proteger as vítimas e não permitir que nenhum caso seja escondido ou enterrado” afirmou. Durante o encontro serão realizadas sessões plenárias, grupos de trabalho, momentos comuns de oração com a escuta de testemunhos, uma liturgia penitencial e uma celebração eucarística final.

Covardia contra a mulher

Os crimes praticados contra as mulheres neste início de 2019 refletem um cenário de violência poucas vezes visto. Foram 107 casos de feminicídio registrados nestes primeiros dias, em uma média de cinco por dia. Sessenta e oito terminaram em morte, as outras 39 foram tentativas. Há episódios conhecidos em 94 cidades, distribuídas em 21 estados. É uma tragédia nacional. Os dados foram computados pelo doutor em Direito Internacional da USP, Jefferson Nascimento, com base no noticiário comum, por isso é bem possível que existam um sem número de casos não registrados ou subnotificados. “A mulher é vista como um componente social que pode ser descartado por qualquer razão fútil. Aí aparece o homem que afogou a mulher no vaso sanitário, outro que matou a golpes de machado, um terceiro que baleou e foi jogar futebol” explica o professor. Os casos são mais frequentes nos finais de semana, a faca é a arma mais utilizada e o companheiro ou o ex é o principal suspeito em 69% dos casos.

Matricula para o EJA

A Secretaria de Estado da Educação anunciou o calendário de matrículas para os alunos novatos da Educação para Jovens e Adultos (EJA). Estão seno ofertadas 13 mil vagas em todo o Estado em 170 escolas da rede pública. A pré-matrícula deve ser feita até sexta-feira (25) no endereço eletrônico http://matriculaonline.al.gov.br Os candidatos podem consultar as escolas disponíveis e o número de vagas em seu município.

Contra a extinção

Entidades representativas da Justiça Trabalhista de Alagoas, seguiram determinação nacional e realizaram um ato em defesa da manutenção do Ministério do Trabalho.  A preocupação vem em decorrência da afirmativa do presidente Jair Bolsonaro de que enviará ao Congresso uma proposta para acabar com as atividades trabalhistas no país.

Contra a extinção 2

O ato da última segunda-feira aconteceu no hall do Fórum Quintella Cavalcante, sede das Varas Trabalhistas de Maceió, e além da presença de diversas entidades, também contou com o apoio do Tribunal Regional do Trabalho da 19º Região (Amatra 19), do Ministério Público do Trabalho de Alagoas (MPT) e da Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat).

Contra a extinção 3

A nível nacional o presidente da Associação Nacional de Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Guilherme Guimarães, pediu respeito aos 75 anos da Justiça do Trabalho e garantiu que o movimento é apartidário, mas reflete um prenúncio político sobre as intenções do governo em relação aos órgãos de justiça relacionados ao trabalho.

 

  • O Brasil e a Europa serão interligados por um novo cabo submarino de fibra ótica com capacidade de 40 terabytes (TB) por segundo, facilitando a comunicação telefônica e de imagens entre diferentes pontos do território brasileiro e o continente europeu.
  • De acordo com a representação da União Europeia no Brasil, a entidade já disponibilizou US$ 30 milhões para o início da implantação do projeto.
  • No entanto, o volume total a ser aplicado no cabo submarino ainda não está calculado por depender de um detalhamento que está sendo organizado por um consórcio internacional de bancos que vai financiar a operação.
  • Hoje, o Brasil utiliza um cabo submarino denominado Atlantis 2, com 20 gigabytes, capacidade insuficiente para atender as necessidades para transmissão de dados entre o país e o continente europeu.