Antônio Pereira

8 de maio de 2019

É urgente: precisamos de mais árvores em Maceió

Um relatório de 2014 aponta Maceió como uma cidade muito abaixo do nível considerado ideal no que tange o quesito índice de arborização. Pelos dados apresentados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), Maceió tem apenas quatro metros quadrados por habitante, em média, do índice de arborização, quando o ideal seria ter 12 metros quadrados por habitante. Infelizmente, de 2014 para cá pouco foi feito que trouxesse um impacto representativo no aumento da arborização na cidade.

A capital alagoana mais parece um deserto de cimento e pedra, dado a quantidade ínfima de árvores nas ruas e em praças públicas. As praças ainda carecem de atenção redobrada, onde a maioria está praticamente abandonada, sem sequer um trabalho de poda e limpeza nas plantas.

A prefeitura tem insistido que está fazendo a sua parte, com dois grandes viveiros de plantas para muda (no Parque Municipal e outro no IBAMA), mas é muito pouco. É dado o momento de intensificar como nunca essas ações de arborização da cidade, onde todos ganham: os maceioenses, as plantas e também as aves e outros animais. Seria uma maravilha poder andar pela cidade com árvores em todos os locais. Para isso, há também a necessidade de colaboração dos moradores. Cada um deles deveria ter em frente a sua casa uma árvore. Só isso já seria um grande avanço.

A prefeitura tem os serviços de poda, supressão e plantio de árvores em áreas públicas que podem ser solicitados pelo cidadão por telefone através do Disque Árvore. Para solicitar, basta o cidadão entrar em contato pelo número 0800 082 3040 ou enviar mensagem por meio do aplicativo Whatsapp para (82) 98805-4522 com a solicitação, informando dados pessoais e especificações sobre o local do serviço requisitado, seja poda, supressão ou plantio de árvore.

A arborização é como a coleta de lixo, claro que é responsabilidade da prefeitura, mas o povo também pode e deve colaborar. Precisamos urgentemente de mais árvores em Maceió para sair desse incômodo lugar de uma cidade sem arborização mínima.