Blog do Dresch

6 de setembro de 2018

Congresso de Oftalmologia reúne 4 mil em Maceió

Aberto ontem no início da noite, no Centro de Convenções de Jaraguá, o 62º Congresso Brasileiro de Oftalmologia (CBO 2018) que reúne cerca de 4 mil profissionais de todo o país e do exterior, em Maceió. Coube ao Ministro da Saúde, Gilberto Occhi fazer a palestra de abertura do evento que se estende até sábado com uma ampla e diversificada programação, além de contar com convidados internacionais como o professor Miguel Burnier, referência em patologia ocular, e Zélia M. Corrêa, diretor do setor de oncologia ocular e diretora do Laboratório de Patologia Ocular na University of Cincinnati (EUA).

Plástico: um problema mundial

Considerado um produto revolucionário pela sua multifuncionalidade na vida cotidiana do ser humano, o plástico agora tornou-se um problema para o planeta. Cientistas americanos descobriram que, a partir de 1950, quando a produção em larga escala dos produtos sintéticos teve início, até 2015, os seres humanos geraram 8,3 bilhões de toneladas métricas de plástico. Deste total, 6,3 bilhões de toneladas se tornaram resíduos e menos de 10% foi reciclado. A previsão é de que 12 bilhões de toneladas métricas de resíduos plásticos terminarão em aterros sanitários ou no ambiente natural até 2050. A produção anual de plástico subiu de 2 milhões de toneladas métricas, em 1950 para 400 milhões de toneladas métricas em 2015. Estima-se ainda que 8 bilhões de toneladas de plástico estão nos oceanos.

Agora, as câmaras nas ruas

Depois da fracassada tentativa de implantar os radares eletrônicos (pardais) em Maceió, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) anunciou que vai instalar 50 câmeras de videomonitoramento nas principais vias e avenidas da capital. Mas a meta é chegar a 500 equipamentos instalados. A diferença das câmeras para os “pardais” é que elas não registram a velocidade dos veículos. Mas flagram quem estaciona em lugar proibido, passa no semáforo vermelho ou anda na contramão. A prefeitura prevê gastos de cerca de R$ 1 milhão para instalação dos equipamentos.

Mulher mata marido com colírio

Uma mulher de 52 anos, foi presa no estado americano da Carolina do Sul, após ser acusada de matar o próprio marido, de 64 anos, envenenado. Lana Clayton teria usado doses diárias de colírio nas bebidas de Stephen Clayton que acabou em óbito dentro de casa. A esposa passou a ser suspeita depois que o exame toxicológico revelou a presença do elemento químico Tetrahidrozolina no corpo da vítima. A substância é encontrada em colírios e sprays nasais, e pode causar infartos, convulsões, falta de ar e até coma e morte.

Mulher mata marido com colírio 2

A Polícia de York County acrescentou ao inquérito a acusação pelo crime de adulteração ilegal de alimentos. Em comunicado distribuído à imprensa, a polícia afirmou que a mulher teria envenenado o companheiro “sem que ele tivesse conhecimento”. Ao ser encontrado sem vida, Stephen Clayton havia sido declarado morto por ter sofrido uma suposta queda de uma escada em sua própria casa.

Chibata pune homossexuais

Duas mulheres da Malásia, que assumiram ter mantido relações sexuais contrárias ás leis do Islã, foram chicoteadas na última segunda-feira por cumprimento de sentença proferida por um tribunal islâmico. A execução da punição desencadeou uma onda de críticas de organizações de direitos humanos que denunciam uma deterioração dos direitos da comunidade LGBT naquele país. Vestidas de branco e cobertas por um lenço islâmico as mulheres receberam os seis golpes cada uma, sentadas em um banquinho. É a primeira vez que mulheres malaias são açoitadas por violar as leis do Islã que reprimem relações homossexuais.

Chibata pune homossexuais 2

Na Malásia, está em vigor um duplo sistema judicial e os tribunais islâmicos são capacitados para julgar questões religiosas e familiares. As duas mulheres açoitadas, de 22 e 32 anos foram presas em abril depois de serem apanhadas dentro de um carro em uma praça localizada no estado conservador de Twerengganu, no norte do país. Foram condenadas a seis chibatadas cada e uma multa de 3.300 ringgit (690 euros ou 800 dólares). Segundo uma autoridade, a punição tem como objetivo humilhar as pessoas, mais do que causar sofrimento físico.

 

 

  • O Banco do Brasil começa a distribuir hoje (6) R$ 732 milhões a seus mais de 100 mil funcionários referentes à Participação de Lucros e Resultados (PLR) do primeiro semestre.
  • O anúncio da distribuição foi feito pelo próprio presidente do BB, Paulo Rogério Caffareli, que havia garantido as entidades sindicais que o pagamento seria feito o mais breve possível.
  • O dirigente bancário assinalou no bilhete que a distribuição era “verdadeira” e que os funcionários poderiam contar com a Participação dos Lucros antes do feriadão de 7 de setembro.
  • No primeiro semestre, o lucro líquido contábil do Banco do Brasil, usado como referência para a remuneração dos acionistas e a repartição com funcionários, atingiu R$ 5,883 bilhões, um aumento de 16,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.