A Palavra em palavras

5 de setembro de 2018

ABRI-NOS OS OLHOS

Abri-nos os olhos

Abre os olhos e olha! O Sol nasce sobre todos. A vida brotou em suas células e seu cérebro é capaz de contemplar essa realidade, não vinda do acaso, palavra que apenas tapa as lacunas de quem não compreendeu os porquês do ocorrido.

Sua escolha por amar ou não amar não é irrelevante, é de significativa importância a você e a todos que o(a) circundam. Seu sim, seu não, seu silêncio ou berro, tudo influi, importa, gera consequência.

O Sol nasce sobre todos e ilumina muitas coisas. Até mesmo a lua, que não tem luz própria e a muitos engana como se luz tivesse e sua oferta fosse suficiente, bastasse, desse vida. Ó enganadora lua! Tu encantas, mas é do Sol e da água, em sua modéstia, que brota a vida.

É o oxigênio, em nossas mitocôndrias, que produz a mais essencial energia em nossa condição física atual, temporal, fundamental. Ela que nos move pela vida, propiciando as transformações dos nutrientes, nas digestões que fazemos. Mas nem tudo digerimos.

Falta-nos digerir a vida, transformando-nos no amor. Falta a Vida em nós mesmos, falta-nos a nossa vida no Senhor. Pois só a transcendência plenificadora é capaz de apaziguar e realizar o coração humano. Vinde, ó Deus Alimento, Senhor Sacramentado, ó Amor Concreto, visível, que nos tem sustentado!

Abri-nos, Senhor, os nossos olhos e infundi em nossas almas a fé que nos permite contemplar Vossa beleza em Vossa criação, ó Beleza Eterna, Absoluta e Infinita! Destes-nos o Sol, o ar, a água e os nutrientes necessários à vida. Soprastes as nossas partículas à vida, criando-nos no mundo. E com Vossos sacramentos regastes-nos, chamastes-nos e nos fizestes participantes de Vós, dando-nos a participar no Filho, o Esposo da Santa Igreja Católica. Dignificastes-nos.

Dignificastes estes Vossos servos, Senhor, criando-nos à imagem e semelhança Vossa. Somos Vossos. Ó Amor que nos honra, concedendo-nos participar do Vosso Corpo e Sangue, abri-nos os olhos! E reconheceremos a grandiosidade de Vossa misericórdia, que nos vocacionou e nos deu a participar de Si.

Poderemos, então, ver quão pequenos e autodestrutivos temos sido ao buscar satisfação longe de Vós. Tende misericórdia, ó Mestre, porque sabemos de Vosso amor e ainda assim nos deixamos levar, buscando realizações em nós fora Vós. Só Vós sois Bom e só em Vós se satisfaz o nosso coração, criado para amar e ser em Vós para, no Amor, viver.

Abri-nos os olhos, ó Deus, e ensinai-nos a amar! Pois só assim encontraremos a realização a que nossos corações tanto almejam.

Dado em Maceió, 04 de setembro de 2018.

Alisson Francisco R. Barreto[1]

[1] Alisson Francisco Rodrigues Barreto é poeta, filósofo (Seminário Provincial Nossa Senhora da Assunção); bacharel em Direito (Universidade Federal de Alagoas), pós-graduado (Escola Superior de Magistratura de Alagoas); estudante de Teologia na qualidade de seminarista da Arquidiocese de Maceió. Autor do livro “Pensando com Poesia” (disponível em americanas.com) e autor do blog “A Palavra em palavras” (acessível em tribunahoje.com, a partir 04/9/2018), desde 2011.