Ailton Villanova

21 de agosto de 2018

A  mordida no cangote

A aposentada Prolactina Pacheco – dona Tina para os mais chegados -, estava completando 70 anos de idade numa carência filha da mãe. É que depois de ter enviuvado aos 40, jamais teve a satisfação de compartilhar a horizontal com um filho de Deus… E olhe que ela não era de se jogar fora.

Moradora do Benedito Bentes, certo dia encontrava-se a indigitada viajando espremida num ônibus, com destino ao centro de Maceió. Em cada ponto que o coletivo parava, subia um magote de passageiros. Não demorou muito, o veículo estava que nem uma lata de sardinha. Todo mundo respirando ao mesmo tempo, para aproveitar oxigênio. Em ônibus lotado é assim.

Em dado momento, os passageiros escutaram uma voz aflita reclamar:

–  Pare com essa fungação no meu cangote, seu fidapeste! Iche!

A reclamante era, justo, dona Tina e o reclamado, um certo professor Tabernáculo Maranhão, que replicou:

– Eu preciso respirar, madame! Quem manda a senhora botar o seu cangote no meu nariz? Aliás, com a devida vênia e respeito, o seu cangote é muito fofinho e cheiroso!

–  Deixe de enxerimento e vire essa venta pra lá! Tô com calor, mas não preciso de ventilador, não!

– Por acaso a senhora tá me chamando de “venta de ventilador”, é? – melindrou-se o professor.

– O senhor é quem sabe. Eu só sei que com essa ventania por detrás do meu pescoço, já tô ficando com frio – exagerou a viúva.

Nisso, um gaiato chamado Galileu, falou do meio da passageirada:

– Ih, galera, a coroa tá ficando nervosinha, ui, ui, ui!

Ah, pra quê! Ofendidíssima, dona Tina exagerou na réplica:

– Nervosinha quem pode estar é a puta da sua mãe, por falta de macho!

Imediatamente, veio a tréplica:

– Minha mãe não precisa de macho, porque ela tem um lá em casa, que por acaso é o meu pai, um cabra muito macho! Quem precisa de homem é você!

Dito isto, Galileu fez uma coisa que jamais deveria ter feito: agarrou a aposentada por trás e deu uma tremenda mordida no cangote dela. Dona Tina arrepiou-se todinha. Ato contínuo, enloqueceu dentro do ônibus.

Trabalhão tiveram passageiros para fazê-la descer do coletivo.

– Morde! Morde mais o meu cangote, meu vampiro tarado! – berrava a viúva, descontrolada, para o Galileu. – Mooorrrde!

 

 

 

Seria o próprio?

 

Uma madame com toda pinta de pirada, chegou ao consultório do psiquiatra Edmal Lucco, arrastando um enorme rottweiler. De saco cheio com tanta gente doida, o psiquiatra avisou:

– Olha, madame, eu não sou veterinário!

E a mulher:

– Eu sei disso, doutor… Mas pensei que o senhor pudesse curar o meu marido. Ele pensa que é um cachorro!

 

 

 

Relógio para baiano 

 

Dona Amaralina, mãe do baiano Jesus da Anunciação, estava aprontando as malas para uma viagem de turismo  ao exterior. Virou-se para ele e perguntou:

– Meu dengo, quer que eu lhe traga alguma coisa da viagem?

– Ô mãinha, me traz um relógio que diz as horas, por favor…

– Ué, e o seu não diz?

– Diz não, mãinha. Eu tenho de olhar nele para saber…

 

 

Velhinho danado

 

Seu Aldegundes foi ao consultório médico e pediu um checape.

– Quero ver se está tudo em ordem, porque vou me casar semana que vem! – disse cheio de entusiasmo.

– Casar???!!! – espantou-se o médico. – Que idade o senhor tem?

– Oitenta e oito…

– E a sua noiva?

– Vinte e um!

– Vinte e um???!!! Nesse caso, eu aconselho a tomar cuidado porque essa tremenda diferença de idade pode ser fatal!

E o vetusto:

– Então… paciência! Se ela morrer, Arrumo outra!

 

 

Conservadas demais!

 

Nivinha, aquela bichíssima meio imbecil e muito da safada, topou com duas freiras que buscavam donativos para suas obras de caridade:

– Meu filho, nós somos irmãs de Cristo e…

– Nooosssa, como vocês estão conservadas!!!