A Palavra em palavras

18 de agosto de 2018

SÚPLICAS DE UM NASCITURO

Súplicas de um nascituro

.

Deixem-me nascer. Que mal eu lhes fiz?

Por que não posso conhecer o Sol? Nem ouvir o som do mar…

Não se deixem enganar. Não me deixem só! Quero viver.

.

Já disseram que negro não é gente, que judeu ou cristão deveria morrer…

Eu lhes pergunto: que mal eu fiz para perecer?

.

Deixem-me estudar, sonhar, viver…

Deem-me o meu direito de respirar, de amar, de sentir e comer.

.

Por que não posso também saborear os bolos, as pizzas, lasanhas e sanduíches?

Quero sentir os gostos do cuscuz e dos pitus, da feijoada e das tapiocas.

Mas não querem que eu saiba nem mesmo o que é o leite materno.

.

Deixem-me nascer. Faço parte do mesmo genoma que você.

Pode não parecer, mas temos a mesma natureza humana.

Não se engane, também fui criado para amar.

.

Por que desistem de mim? Por que se negam a amar?

Deem-me uma chance: deixem-me viver.

Permitam-se aprender a amar.

Por favor, eu quero nascer.

.

 Maceió, 17 de agosto de 2018.

(Postado em 18 de agosto de 2018)

 

Alisson Francisco Rodrigues Barreto[1]

[1] Alisson Francisco é autor do blog “A Palavra em palavras” (disponível em TribunaHoje.com) e do livro “Pensando com Poesia” (à venda na americanas.com), poeta, filósofo (SNSA); bacharel em Direito (Ufal) com pós-graduação (Esmal), cursando Teologia (SNSA – Seminário Nossa Senhora da Assunção) como seminarista da Arquidiocese de Maceió.