Blog do Dresch

16 de agosto de 2018

Ex-presidente renuncia ao cargo de senador

O ex-presidente da República do Uruguai, José Mujica, de 83 anos, renunciou ao cargo de senador esta semana, alegando motivos pessoais e de “cansaço”. Uma carta foi enviada por Mujica aos seus pares no senado, citando que ele se afastava por “estar cansado de longa viagem”. Diz ainda que que o caráter da renúncia é voluntário o que não corresponde a manutenção do subsídio estabelecido, já que ele receberá a aposentadoria.

A despedida de um líder 2

O ex-presidente e agora ex-senador, citou ainda que “enquanto minha mente funcionar, não desistirei da solidariedade e da luta por ideais”. Em uma entrevista à Agência Efe no início do mês, José Mujica disse que pretendia tirar “uma folga” antes de morrer, dado a sua avançada idade. “Vejo que tenho 83 anos e estou me aproximando da morte. Quero tirar uma licença antes de morrer, simplesmente porque estou velho” ressaltou Mujica.

 

STF retira acusações a Lula

Um recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi aceito pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou a retirada do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, de trechos da delação da Odebrecht que citam o petista. Os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski entenderam que as menções a Lula devem seguir para a Justiça Federal do Distrito Federal. Pelo mesmo placar, citações ao ex-ministro Guido Mantega sairão das mãos de Moro e seguirão para as Justiças Federal e Eleitoral de Brasília. A decisão afeta trechos de delações dos executivos e ex-executivos Alexandrino Alencar, Emílio Odebrecht, Hilberto Silva, Marcelo Odebrecht, Luiz Eduardo Soares e Pedro Novis. Em abril a Segunda Turma já havia retirado de Moro menções a Lula em delações referentes ao sítio em Atibaia e da nova sede do Instituto Lula.

Baixo nível de vacinação

Ainda é pequeno o percentual de crianças vacinadas em Alagoas contra o sarampo e a poliomielite, segundo dados levantados pelo Programa Nacional de Imunização e divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde. Até agora foram imunizadas pouco mais de 37 mil (17,48%) crianças contra a pólio e 36 mil (17.20%) contra o sarampo. No próximo sábado, será o dia D da campanha, quando pretende-se ampliar a cobertura vacinal em Alagoas e no país. A campanha termina no próximo dia 31.

Correndo dos planos

De acordo com o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), em um período de 12 meses (junho de 2017 a junho de 2018), 66.502 contratos de assistência médica foram cancelados no país. Atualmente o número de beneficiário destes planos no Brasil é de 47,2 milhões. Ainda segundo o IESS, no corrente ano, o número de beneficiários caiu todos os meses. Inicialmente a Agência Nacional de Saúde Suplementar previa uma alta de 0,1% no primeiro semestre. Porém houve um recuo de 0,1% no número de beneficiários dos convênios médicos no período.

Correndo dos planos 2

O encolhimento do mercado dos planos já tem três anos, devido à crise econômica, ao desemprego e principalmente aos aumentos constantes das mensalidades, sempre acima da inflação. Além dos custos de manutenção de um plano de saúde, a própria qualidade dos serviços ofertados tem caído severamente, motivo pelo qual os usuários manifestam suas insatisfações. Os planos, contudo, ainda acreditam que ainda poderão terminar o ano com um crescimento em torno de 250 mil novos vínculos.

Asilo para idosos gays

A primeira residência pública do mundo, voltada a abrigar homossexuais aposentados que não se sentem à vontade nos modelos tradicionais está para ser entregue em Madri. A ideia é abrigar, a princípio, 66 moradores, criar um centro de atividades diárias e um método de gestão a partir de verba pública. Uma fundação assumirá a administração da casa, para garantir o acolhimento de homossexuais que precisam ficar em um local de convivência em algum momento da vida. Além disso muitos idosos gays têm problemas de saúde mental porque “nunca foram compreendidos”. O asilo será inaugurado em 26 de dezembro.

 

  • Quando as mulheres descobrirem a força que poderiam ter se estivessem unidas, venceriam essas eleições, digamos, com uma certa facilidade. Em Alagoas o eleitorado feminino é de 53,3%, ou 1.139. 493 mil mulheres aptas a votar e a serem votadas.
  • Em todos os estados o voto feminino é maior, alcançando 52,5% da população brasileira. Por regiões, o Nordeste lidera, com Alagoas estando em segundo lugar, sendo superada apenas por Pernambuco, com 53,6%.
  • Aliás, Pernambuco e Alagoas somente ficam atrás do Distrito Federal que tem 53,8% de mulheres aptas ao voto, e para o Rio de Janeiro, com 53,7%.
  • Mesmo sendo maioria no país e em Alagoas, em oito estados as mulheres não participam da disputa dos cargos majoritários: em Alagoas, no Amapá, Amazonas, Ceará, Mato Grosso, Pará, Rio Grande do Sul e Rondônia.