Roberto Baia

9 de agosto de 2018

Uma loucura

Um gesto de loucura. Assim pode-se imaginar a atitude de um prefeito que sequestra e comete as piores estripulias com a ex-esposa. Pois bem. Isso realmente aconteceu, segundo informações da polícia alagoana.

Vejamos: o deputado Dudu Hollanda (PSD) acusa o prefeito de Maribondo, Leopoldo Pedrosa (PRB), de ter sequestrado e agredido Meiry Emmanuella de Oliveira Vasconcelos, ex-esposa do gestor e atual namorada do parlamentar.

 

O sequestro

O caso foi relatado por ele em uma postagem nas redes sociais, apagada posteriormente. Por telefone, porém, Hollanda confirmou à Gazetaweb o fato.

De acordo com o deputado, o sequestro aconteceu na noite de sexta-feira (3), por volta das 23h, nas proximidades de um supermercado de Maceió. Emmanuella teria sido levada por dois homens encapuzados para um cativeiro em local desconhecido, onde permaneceu até a manhã de segunda-feira (6).

 

Incomunicável

“Eu estava em Água Branca com o governador, o senador Renan e outros políticos para o Festival de Inverno. Como ela ficou incomunicável por mais de 48 horas, sem falar com ninguém da família, comigo, com as amigas, achamos estranho e já procuramos a Secretaria de Segurança Pública”, diz Dudu Hollanda.

 

Família em pânico

O parlamentar conta que a polícia foi acionada na segunda, assim como o Ministério Público. “A polícia foi requisitada por mim na segunda às 6h30. A família já estava começando a entrar em pânico porque ela estava sumida há três dias e sem comunicação, o que ela nunca faz”.

 

Foi encontrada

Emmanuella foi encontrada neste mesmo dia, nos fundos do condomínio onde reside uma irmã dela, no bairro da Serraria, na capital. De acordo com o deputado, mesmo traumatizada, ela conseguiu relatar à família o que havia acontecido. A mulher teria contado, então, da participação do prefeito de Maribondo, ex-marido dela.

 

Homens encapuzados

“Ela confidenciou o sequestro, disse como tinha sido. Disse que dois homens encapuzados pegaram ela e fizeram uma guerra psicológica; ela ficou com um pano na cabeça, tomaram o telefone dela, porque o foco era ver o telefone. Depois tiraram o pano e apareceu o Leopoldo, que deu um recado. ‘Diga ao seu namorado que ele suma do município senão vai você e ele’, ou seja, morreríamos ela e eu”.

 

Outra agressão

Depois de espancar a esposa e empreender fuga, o ex vice-prefeito de Girau do Ponciano, Severino Correia Cavalcante, conhecido por Severino do Chapéu, continua sendo caçado pela polícia alagoana.  De acordo com informações da Polícia Civil, Severino agrediu a companheira Cícera Correia César que procurou as autoridades para relatar que foi espancada violentamente pelo companheiro com um balde e depois a arrastada pelo chão.

 

Decisão da Justiça

Numa decisão assinada pelo Juiz de Direito da Vara de Único Ofício de Girau do Ponciano, Allysson Jorge Lira de Amorim, foi determinado que Severino do Chapéu deve manter-se afastado da esposa por uma distância mínima de 300 metros, assim como não utilizar de quaisquer meios de comunicação para manter contato com a mesma.

 

Pai de Santo

A polícia já sabe a identidade de pelo menos dois suspeitos, na participação do assassinato de um pai de santo, ocorrido na terça-feira (7), na cidade de Viçosa.

Segundo o delegado Guilherme Sillero, da Delegacia Regional daquela cidade, as hipóteses de execução e crime homofóbico estão inicialmente descartadas. A polícia começa a analisar o caso como latrocínio.

 

Latrocínio

Além do assassinato, os bandidos levaram certa quantia em dinheiro do terreiro – local de atividades de José Cícero, conhecido como Lonan, de 35 anos. Ainda de acordo com o delegado, a vítima conhecia os criminosos e, por essa razão, acabou sendo eliminado.

 

Oferta de emprego

Após pedido de suspensão das parcerias entre a Prefeitura de Arapiraca e as OSCIPs, ajuizado pelo Ministério Público de Alagoas, quase 900 vagas de trabalho foram abertas e serão preenchidas através de PSS (Processo Seletivo Simplificado). O órgão não informou oficialmente qual será a situação contratual com os funcionários vinculados às empresas a partir de agora.

 

 

 

Voltemos ao princípio. Em 2018, a Prefeitura de Arapiraca definiu que a maior parte do contingente de funcionários municipais, até então contratados diretamente por ela, passariam a ser terceirizados.

 

… Foram contratadas, a preços milionários, quatro OSCIPs (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) para gerenciar os servidores. Ou seja, os trabalhadores foram cadastrados nestas empresas, e passaram a receber salários através delas, sem nenhum vínculo direto com a Prefeitura.

 

 

… Em junho deste ano, após escândalos de atrasos de pagamento e suspeitas sobre os modos de contratação de servidores, o Ministério Público estadual solicitou toda a documentação relativa às OSCIPs. Na época, o Instituto Apoio, uma das empresas, teve contrato cancelado.

 

 

… Nesta semana, o MP solicitou, através de ação civil pública, que as parcerias feitas fossem suspensas, sob pena de multa aplicada ao próprio prefeito Rogério Teófilo. O Tribunal de Justiça de Alagoas concedeu 72 horas para que o município se posicione, e definirá se a ação do MP será executada. (Com 7segundos).