Blog do Dresch

23 de maio de 2018

O Brasil perde um jornalista como poucos

Nos deixou ontem, aos 86 anos, um dos maiores jornalistas que este país conheceu. Alberto Dines faleceu no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado há 10 dias, por complicações causadas por uma gripe. Professor, escritor, biógrafo, mas acima de tudo jornalista. Carioca de nascimento iniciou sua carreira como crítico de cinema na revista Cena Muda. E m seguida foi para a revista Visão, quando começou a escrever sobre política. Seguiu para a revista Manchete, e em 1959 foi convidado a dirigir o jornal Última Hora, do lendário Samuel Wainer.

Ausência muito sentida 2

Depois trabalhou por 12 anos como editor-chefe do Jornal do Brasil, onde combateu o regime militar até ser demitido em 1973 por escrever um artigo criticando a relação amistosa dos proprietários do JB com governantes do estado do Rio de Janeiro. Seguiu para os Estados Unidos, trabalhando como professor-visitante da Escola de Jornalismo da Universidade de Colúmbia. Dois anos depois voltou ao Brasil e trabalhou na Folha de São Paulo e no Pasquim. Passou um tempo em Portugal e ao retornar criou a versão eletrônica do Observatório da Imprensa, lançado em Lisboa para acompanhar a mídia. O programa ganhou visibilidade e chegou à televisão em 1998, na TV Educativa. O Observatório da Imprensa mantém-se vivo até hoje na internet.

 

Facebook irrita direita

Lançado na semana passada no Brasil, o programa do Facebook que controla e tenta impedir as “fake news”, provocou reações enfurecidas de grupos de extrema direita, que acusam a rede social de “censura” e de propagar “ideias esquerdistas”. Jornalistas das agências Lupa e Aos Fatos, associadas ao Facebook denunciaram ameaças a si e a familiares. O programa de luta contra as notícias falsas foi implantado em vários países junto com meios de comunicação como a AFP e a Associated Press. No programa as notícias identificadas como falsas não são suprimidas imediatamente, mas ficam menos visíveis e adverte sobre o seu caráter duvidoso aos usuários que querem compartilhá-las. O grupo Movimento Brasil Livre denunciou, em vídeo, que as medidas “querem asfixiar a direita” disse Renan Santos, um dos líderes. A direita brasileira defende até a prática de publicar notícias falsas!

Cadastramento nos presídios

Os detentos do Presídio de Segurança Máxima, na parte alta de Maceió, começaram a ser recadastrados biometricamente. O trabalho, de responsabilidade do Tribunal de Justiça, é feito pelo Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF) e deve estar concluído até esta sexta-feira (25). Após o término do recadastramento no Presídio de Segurança Máxima, será realizada uma avaliação do trabalho para definição do trabalho em outras unidades prisionais. A medida é uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Pré-candidatura de Lula

O deputado Wadih Damous (PT-RJ) assegurou ontem, após uma visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ele escolheu o próximo dia 27, para lançar sua pré-candidatura à Presidência da República. Lula continua preso na sede da Polícia Federal em Curitiba. O parlamentar, conseguiu acesso porque assumiu a condição de advogado do ex-presidente. Damous presidiu a OAB do Rio de Janeiro, antes de ser deputado federal. Ele disse ainda que o lançamento da pré-candidatura acontecerá em cada cidade brasileira onde o Partido dos Trabalhadores estiver organizado.

Pré-candidatura de Lula 2

O deputado afirmou ainda que Lula está bem-humorado, mas continua indignado com a sua prisão. “Está bem abrigado, tem praticado exercícios e está bem-humorado. Mas é claro que está indignado com esta perseguição que se abate sobre ele”. Ainda de acordo com Damous, Lula voltou a afirmar que não quer receber um indulto, mas sim, o reconhecimento da sua inocência. Para o lançamento da pré-candidatura do candidato do PT “pouco importa se em cada ato tenha 10 pessoas, 5 pessoas ou 500 pessoas. O importante é o somatório dos atos, para mostrar a todos que Lula é o nosso candidato a Presidente”.

Agenda movimentada

O governador em exercício, Otávio Praxedes tem cumprido uma agenda rigorosa, nestes dias em que substitui o governador Renan Filho, em férias com a família. Tem recebido diversas autoridades no Palácio República dos Palmares, tem visitado órgãos que interagem com o Poder Judiciário como Secretaria de Segurança Pública e o Comando da Polícia Militar. Participou da reunião do Conselho Estadual de Segurança, e nesta quinta fará uma visita ás obras do Hospital Metropolitano no bairro do Tabuleiro e que deve estar concluído até o final deste ano.

 

 

  • Seis elefantes-pigmeus, uma subespécie ameaçada de extinção na Ásia, foram encontrados mortos em uma plantação de palmas na ilha malaia de Bornéu.
  • A causa da morte dos animais ainda não foi estabelecida, já que não apresentavam sinais de ferimentos a bala nem outro tipo de arma.
  • Eles tinham idades entre um e 37 anos e talvez possam ter sido envenenados acidentalmente ao ingerir adubo espalhado nas plantações de palmas.
  • No ano passado três elefantes-pigmeus foram mortos por caçadores clandestinos.
  • Estima-se que atualmente existem somente dois mil exemplares da espécie em estado selvagem. As ameaças são decorrência da redução do seu habitat natural devido ao desmatamento e a caça ilegal para extrair suas presas, que alcançam um valor alto no mercado negro.
  • Os elefantes-pigmeus vivem principalmente em Bornéu e chegam a 2,5 metros de altura, abaixo dos elefantes da Ásia. Caracterizados pelo aspecto juvenil de seus rostos, grandes orelhas e longa cauda, foram classificados como nova espécie a partir de 2003, após testes de DNA.