Blog do Dresch

19 de maio de 2018

Brasil é, de novo, o favorito na Copa

Alguém tem dúvida que a seleção brasileira é a favorita para ser campeã na Copa do Mundo da Rússia? Mas isso não é papo de torcedor entusiasmado com o futebol de Neymar e cia. A afirmativa é da Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getúlio Vargas (FGV EMAp) que através de um estudo concluiu que a partir dos gols marcados e sofridos em todas as partidas das 207 seleções ligadas à Fifa nos últimos quatro anos, o Brasil está à frente de todos os adversários. Segundo as projeções, a seleção brasileira tem 21% de chances de ser campeã na Rússia, seguida pela Espanha com 13% e Alemanha com 11%. “Os números mostram que será um torneio muito equilibrado, garante o professor Moacyr Alvim, que coordenou o estudo com o professor Paulo Cezar Carvalho.

De novo, Brasil é favorito 2

O modelo matemático utilizado no estudo estimou que o resultado mais provável em todos os jogos da primeira fase é de 1 a 0, seguido por 2 a 0, 2 a 1 e 1 a 1. Para o Brasil o prognóstico aponta três vitórias na fase de grupos: 1 a 0 na Suíça, 2 a 0 na Costa Rica e 2 a 0 na Sérvia. Pela avaliação das seleções, na segunda fase o Brasil deve enfrentar a Suécia. Mas estas constatações não devem ser motivo para muito otimismo em relação ao desempenho da seleção canarinho. Em 2014 a chance de o Brasil levantar a taça era de 28%, mas na semifinal aconteceu a tragédia: 7 a 1 para a Alemanha e a desclassificação na Copa jogada em casa.

 

Ministro minimiza documentos

O ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, afirmou esta semana que os registros feitos pela Agência Central de Inteligência (CIA) e divulgados recentemente, sobre a participação do governo militar na tortura e morte de adversários do regime, que “esse assunto se esgotou e é apenas uma questão de historiadores”. Segundo ele, o tema se esgota na Lei da Anistia, sob o ponto de vista militar. Os documentos históricos mostram que o então presidente, general Ernesto Geisel (1974-1979) aprovou uma política de “execução sumária” dos opositores do regime, seguindo a prática do seu antecessor, Emílio Garrastazu Médici, citado em outro documento da CIA liberado esta semana, que diz que o general devia ter consciência da extensão da violência usada pelas forças de segurança brasileiras.

Aeroporto volta a se destacar

Nos primeiros quatro meses de 2018, o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, em Maceió registrou um crescimento no fluxo internacional de passageiros de 104,51% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são da Infraero divulgados esta semana. Entre janeiro e abril do corrente ano quase dez mil passageiros passaram pelo aeroporto da capital alagoana, contra 4 mil registrados no quadrimestre de 2017. Em um único mês, o de abril o aumento ainda é maior.  Foram 360 passageiros ano passado contra 1.700 em 2018, um percentual de aumento de mais de 364 %.

Aeroporto volta a se destacar 2

O Aeroporto de Maceió também se destaca no fluxo total de passageiros, o que inclui o embarque e desembarque nacional e internacional. A porcentagem é de 6,56% de crescimento acumulado do ano em comparação a 2017, com mais de 740 mil pessoas que utilizaram o Zumbi dos Palmares neste ano. A análise isolada de abril também é positiva com aumento de 6,06%, em números absolutos mais de 152 mil pessoas embarcaram e desembarcaram no mês citado, contra pouco mais de 140 mil que passaram pelo aeroporto em abril do ano de 2017.

O desejo de matar

O Brasil tem o nono maior índice de homicídios do mundo. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que a média brasileira é cinco vezes mais que a média mundial. A informação faz parte do relatório anual da OMS sobre estatísticas da saúde global, publicado ás vésperas da Assembleia Mundial da Saúde, que começa nesta segunda. No relatório consta que as mortes no Brasil atingiram 31,1 a cada 100 mil pessoas.  A liderança é de Honduras com 55,5 homicídios por cem mil. Depois aparece a Venezuela com 49,2.  A classificação segue com El Salvador (46 para cem mil), Colômbia (42), Trinidad e Tobago (41), Jamaica (39,1), Lesoto (35) e África do Sul com 33,1 homicídios para cada cem mil pessoas.

O desejo de matar 2

Em todo o mundo a taxa é de 6,4 homicídios para cada 100 mil pessoas. Na África a média é de 10 mortes por cem mil, contra 3,3 da Europa. O continente mais afetado pela violência é a América com média de 17,9. Segundo a OMS, no ano de 2016, estima-se que 477 mil homicídios foram cometidos no mundo, sendo que 80% eram homens. Nas Américas o total foi de 156 mil assassinatos. A taxa verificada nas Américas se aproximam ao total de vítimas de guerras pelo mundo. Em 2016, 156 mil pessoas foram mortas nos conflitos mundiais. As guerras geraram a morte de 2,5 pessoas por cada cem mil pessoas do mundo. A taxa é duas vezes superior ao que registrou no mundo entre 2007 e 2011.

 

  • Assumiu interinamente o Governo do Estado na última quinta-feira, o presidente do Tribunal de Justiça, Otávio Leão Praxedes. Ele permanecerá no cargo até o próximo dia 26 de maio.
  • O governador Renan Filho estará de férias no período, devendo viajar com familiares.
  • Otávio Praxedes disse que pretende dar continuidade à gestão do governador, e que visitará alguns órgãos do Executivo que interagem com o Judiciário, como a Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar, o Conselho Estadual de Segurança e até o Detran.
  • Algumas obras também receberão o governador em exercício, como Hospital Metropolitano, que está em fase de conclusão dos serviços.